A recente visita de comitivas da Diretoria-Geral do Material da Marinha (DGMM) e da Empresa Gerencial de Projetos Navais (EMGEPRON) ao thyssenkrupp Estaleiro Brasil Sul (tkEBS) em Itajaí, Santa Catarina, representa um momento crucial na consolidação da capacidade defensiva marítima do Brasil. Sob a liderança do Almirante de Esquadra Edgar Luiz Siqueira Barbosa, a visita teve como objetivo principal acompanhar o progresso na construção das Fragatas Classe “Tamandaré”, um projeto que se destaca não apenas pela sua importância estratégica, mas também pelo seu potencial de gerar desenvolvimento econômico e tecnológico para o país.

A Fragata ‘Tamandaré’ (F-200): Um Símbolo de Avanço Tecnológico

blank

O avanço na construção da Fragata ‘Tamandaré’ (F-200), com a conclusão dos serviços de solda do casco e a instalação do sistema de propulsão, antecipa um momento histórico para a Marinha do Brasil. Prevista para ser lançada ao mar em agosto deste ano, a F-200 simboliza não apenas um avanço tecnológico significativo, mas também um passo importante na modernização da frota naval brasileira. A Fragata, com 107,2 metros de comprimento e capacidade para 136 pessoas e uma aeronave, será equipada com sensores de última geração e sistemas de armamento avançados, prometendo elevar a capacidade de defesa e a presença marítima do Brasil.

Expansão e Impacto Econômico

O Programa Fragatas Classe Tamandaré não só reafirma o compromisso do Brasil com a segurança marítima, mas também atua como um catalisador para o desenvolvimento econômico. A construção das fragatas está prevista para criar cerca de 23 mil empregos, entre diretos, indiretos e induzidos, evidenciando o impacto significativo do projeto na economia local e nacional. Além disso, a parceria entre a DGMM, EMGEPRON e tkEBS destaca a importância da colaboração entre as forças armadas, a indústria nacional e a academia na promoção do desenvolvimento tecnológico e na consolidação da base industrial de defesa.

Um Olhar para o Futuro

As visitas à tkEBS e às instalações da EMGEPRON em Itajaí também ressaltam o planejamento e a execução cuidadosa do Programa Fragatas Classe Tamandaré. Com a construção do segundo navio, a ‘Jerônimo de Albuquerque’ (F-201), já em andamento e o início previsto da ‘Cunha Moreira’ (F-202) até o final do ano, o programa se posiciona como uma peça-chave na estratégia de longo prazo para a defesa e o desenvolvimento tecnológico nacional. Este esforço conjunto entre o setor público e privado ilustra o compromisso do Brasil em fortalecer sua presença no cenário internacional, garantindo não apenas a segurança de suas águas, mas também promovendo o avanço tecnológico e a inovação no setor de defesa.