Por Mariana Alvarenga – Nesta terça-feira (06), ministros e representantes de órgãos e entidades de proteção ambiental e de segurança pública discutiram a importância da Operação Samaúma de combate a crimes ambientais, em reunião no Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (CENSIPAM). O Ministro da Defesa, Walter Souza Braga Netto, esteve no evento, ao lado do Vice-Presidente da República e Presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal (CNAL), Antonio Hamilton Martins Mourão.

ministro Braga Netto.jpg

“A Operação recém começou e essa reunião foi realizada para alinhar a percepção de todos, para que cada ministro compreenda sua responsabilidade nesse pacote”, disse o Vice-Presidente Mourão. A força-tarefa é uma Garantia da Lei e da Ordem (GLO) e ocorre entre os dias 28 de junho a 31 de agosto, nos seguintes estados: Amazonas, Mato Grosso, Pará e Rondônia.

Em parceria com agências ambientais, militares das Forças Armadas atuam na prevenção e na repressão a crimes ambientais em terras indígenas, em unidades federais de conservação ambiental, em áreas de propriedade ou sob posse da União. As Forças Armadas trabalham, em coordenação com o CNAL, com foco em reduzir o desmatamento e as queimadas. Em entrevista posterior à reunião, o Vice-Presidente Mourão enfatizou que “o ponto focal é que todas as agências cooperem para que haja sinergia neste trabalho e a gente cumpra essa tarefa”.

Censipam.jpg

Estiveram, também, presentes na reunião o Ministro de Minas e Energia, Bento Alburquerque; o Ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite; Secretários-Executivos do Ministério da Justiça e Segurança Pública, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; além de demais autoridades de órgãos integrantes do Grupo Gestor do CENSIPAM.

Homenagem

A Operação Samaúma foi assim nomeada em homenagem à maior árvore da Floresta Amazônica. A Samaúma ou Sumaúma destaca-se por sua altura, que pode alcançar 70 metros, e por uma copa que se projeta acima das demais.

Fotos: Romério Cunha/VPR

Marcelo Barros, com informações do Ministério da Defesa
Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui