O Curso de Altos Estudos em Defesa (CAED) da Escola Superior de Defesa (ESD), em Brasília, está atraindo cada vez mais civis da alta administração pública e privada. Dentre os 107 alunos da turma atual, 44 são civis, incluindo representantes de diversos setores estratégicos do país.

Expansão do Conhecimento em Segurança e Defesa

blank
Fuzileiros Navais durante demonstração de ação em apoio ao Estado – Imagem: Escola Superior de Defesa

O curso, que teve início em fevereiro, abrange o trinômio “Segurança, Desenvolvimento e Defesa”, e destaca a importância das Forças Armadas na proteção da população e na melhoria das estruturas econômicas e sociais. Robson Ribeiro Vicente Alves, servidor federal, ressalta que o curso aborda questões cruciais para a defesa do território e dos interesses nacionais.

Experiência Prática em Campo

Na última semana, os alunos participaram de uma instrução de campo no Eixo Rio de Janeiro—São Paulo, onde puderam observar de perto as operações da Marinha do Brasil. A visita incluiu a Base de Submarinos da Ilha da Madeira, em Itaguaí, onde são construídos os submarinos de propulsão diesel-elétrica e o primeiro submarino convencionalmente armado com propulsão nuclear do país. Esses avanços tecnológicos têm impactos significativos, inclusive na área da saúde, com pesquisas que auxiliam na produção de medicamentos para doenças cardíacas, oncológicas e neurológicas.

Tecnologia e Inovação na Defesa

Os alunos também visitaram a EMBRAER, em Gavião Peixoto, líder da indústria aeroespacial e de defesa na América Latina, onde conheceram a linha de montagem do cargueiro KC-390 e do caça Gripen. Em São José dos Campos, acompanharam atividades do Departamento de Ciências e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) e dos laboratórios do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), referências em robótica e aeronáutica.

Visão Ampliada sobre a Defesa Nacional

Para Rubiane Heloisa Oliveira, da Secretaria Municipal de Inovação e Desenvolvimento Econômico de São José dos Campos, o curso proporcionou uma nova compreensão sobre o papel das Forças Armadas. Ela destaca que a sociedade civil também tem um papel crucial na defesa nacional. Já para Robson Alves, os conhecimentos adquiridos no curso serão essenciais para o assessoramento da alta administração do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT).

Ações Humanitárias e Segurança Pública

Alunos durante instrução, a bordo do NDM “Bahia”, no Complexo Naval da Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro (RJ) – Imagem: Escola Superior de Guerra

No Complexo Naval da Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro, os alunos conheceram o Navio Doca Multipropósito (NDM) “Bahia”, utilizado em operações de guerra e ajuda humanitária. A embarcação possui um complexo hospitalar completo, demonstrando a capacidade da Marinha em apoiar a segurança pública e a assistência médica.

Desafios e Complexidades da Defesa

Daniel Santana Fernandes, Coordenador-Geral do Departamento de Produtos de Defesa do Ministério da Defesa, enfatiza a importância do curso para sua carreira, destacando o papel da Comissão Mista da Indústria de Defesa na promoção da Base Industrial de Defesa. O Diretor-Adjunto do CAED, Coronel André de Souza Monteiro, reforça que os alunos são impactados pelos desafios das Forças Armadas e pelo profissionalismo das empresas de defesa.

Próximas Etapas do Curso

A próxima instrução prática ocorrerá na Região Amazônica, com visitas ao Comando Militar da Amazônia e outras instalações estratégicas. O curso continua a expandir o conhecimento e a importância da defesa nacional entre civis e militares, preparando-os para enfrentar os desafios futuros com profissionalismo e competência.

Marcelo Barros, com informações da Agência Marinha
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).