Em um esforço conjunto para proteger a rica biodiversidade do Amazonas, militares da Marinha do Brasil se juntaram ao Corpo de Bombeiros do Amazonas e à Secretaria de Segurança Pública do estado. O objetivo? Combater um incêndio florestal que ameaçava a região do distrito de Cacau Pirêra, situado no município de Iranduba, a apenas 27 quilômetros da capital, Manaus.

Tecnologia Aérea no Combate às Chamas

imagem 2023 09 30 054626682
Mais de 3 mil litros de água foram utilizados no combate ao incêndio. Imagem: MB

O incêndio, que já consumia uma vasta área de mata de cerca de três quilômetros de extensão por cinco dias, exigiu uma resposta rápida e eficaz. Para isso, os militares do 1° Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Noroeste (EsqdHU-91), uma divisão especializada da Marinha, empregaram o uso do “Bambi Bucket”. Este equipamento, que permite o lançamento de grandes volumes de água diretamente sobre os focos de incêndio, mostrou-se crucial para auxiliar as equipes em terra, buscando extinguir ou ao menos reduzir a área afetada pelas chamas.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Ação Decisiva e Apoio às Comunidades

O Comandante da aeronave, Capitão-Tenente Goulart, detalhou a operação: “Realizamos mais de dez incursões na área afetada. No total, foram utilizados mais de três mil litros de água no combate direto aos focos de incêndio, além de prover apoio essencial às comunidades ribeirinhas nas proximidades de Manaus”. Vale destacar que toda a água empregada na operação foi cuidadosamente captada do rio Negro, minimizando impactos ambientais.

Compromisso com a Preservação

A ação conjunta entre a Marinha do Brasil e as autoridades locais do Amazonas reforça o compromisso contínuo com a preservação do meio ambiente e a segurança das comunidades locais. Em tempos de crescentes desafios climáticos, a união de forças e a rápida resposta a emergências como essa são fundamentais para garantir a proteção da maior floresta tropical do mundo e de seus habitantes.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).