blank
Exército, Marinha e Aeronáutica intensificaram ações nas fronteiras da Amazônia Ocidental — Foto: Divulgação/Exército

Balanço parcial da atuação integrada das forças de segurança estaduais e federais na Operação Hórus no período de 27 de junho a 1º de julho resultou no prejuízo de R$ 105,2 milhões às organizações criminosas que atuam nas fronteiras brasileiras. Nesses cinco dias, o prejuízo maior foi com a apreensão de drogas: 882 kg entre maconha, cocaína e skunk – droga produzida em laboratório que  contém mais THC (tetrahidrocanabinol) do que outras variações da cannabis – com perda de R$ 95,2 milhões. Já 2,2 milhões de reais foram de produtos apreendidos em contrabando – ato de exportar mercadoria proibida – e descaminho – ato de alterar o valor do imposto sobre o referido produto.

As apreensões ocorreram nos estados de Goiás, Amazonas, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Paraná, Tocantins e Rio Grande do Sul. As maiores quantidades de droga foram apreendidas em Tacuru/MS (255,7 kg de maconha), Ponta Porã/MS (230 kg de maconha) e Laguna Carapã/MS (202 kg de maconha). Foram encontrados 18 kg de cocaína dentro de um bebedouro no Porto de Tabatinga (AM).

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Prisões

O balanço parcial também confirma a prisão de 20 pessoas: 4 por tráfico de drogas (1 no Acre, 2 em Goiás e 1 em Santa Catarina); 9 mandados de prisão em aberto (5 no Paraná, 3 em Santa Catarina e 1 em Goiás) e os demais por contrabando (Goiás), veículo recuperado (Mato Grosso), porte ilegal de arma de fogo (Paraná), receptação (Acre), posse ilegal de 540 litros de agrotóxico (Rio Grande do Sul) e fuga de local de custódia (Mato Grosso do Sul).

Contrabando e descaminho

Entre os produtos apreendidos em ocorrências de descaminho e contrabando estão aparelhos de telefone celular, garrafas de vinho, cigarro, aparelhos de TV, azeite de oliva e outros.

Numa única ocorrência de contrabando e descaminho, em Dourados (MS), os criminosos tiveram um prejuízo de R$ 1,3 milhão com a apreensão de cinco veículos; 30 pneus; 18 caixas de essências de narguilé; 6,8 mil óculos; 350 vaporizadores (aparelhos eletrônicos geralmente utilizado por fumantes para vaporizar fumaça); 7,3 mil relógios; 20 mil isqueiros e 15 barracas de camping.  A pena para o crime de contrabando varia de 2 a 5 anos de prisão; para descaminho, de 1 a 4 anos.

Fonte: MJSP