Em um momento histórico para a integração civil-militar no Brasil, representantes da Sociedade Amigos da Marinha (SOAMAR) do Nordeste marcaram presença a bordo do Navio-Aeródromo Multipropósito (NAM) “Atlântico”, o maior navio da Esquadra brasileira. Esta iniciativa, além de fortalecer os vínculos entre a sociedade civil e as Forças Armadas, lança luz sobre a importância estratégica do Poder Naval no contexto das disputas globais e da Defesa Nacional.

Uma parceria emblemática entre civis e militares

blank

O encontro entre os Soamarinos e a tripulação do NAM “Atlântico” no Porto de Recife, culminando com a primeira atracação do navio em Cabedelo (PB), não é apenas um evento simbólico. Representa, na verdade, a materialização da parceria entre a Marinha do Brasil e a sociedade civil, evidenciando o papel crucial da mentalidade marítima na consolidação da soberania nacional. A presença dos representantes da SOAMAR, oriundos de diversos estados do Nordeste, reflete o engajamento e o orgulho civil em contribuir para o fortalecimento das relações com as Forças Armadas, promovendo uma maior compreensão e apoio às atividades militares.

O NAM “Atlântico” como vetor de defesa e desenvolvimento

O Vice-Presidente da SOAMAR-Brasil, Jorge Eduardo Pessoa de Aragão, destaca a relevância do NAM “Atlântico” para a Defesa Nacional, especialmente em um cenário de intensificação das disputas internacionais. A embarcação, além de ser um símbolo do poderio naval brasileiro, desempenha um papel fundamental no aprimoramento da capacidade operacional da Marinha, alinhando-se às necessidades de um Poder Naval crível e eficaz. Neste contexto, a PEC 55/23, conhecida como a “PEC da Defesa”, é apontada como uma iniciativa estratégica para assegurar recursos orçamentários estáveis para investimentos no setor, essenciais para a manutenção e expansão das capacidades defensivas do país.

Impacto regional e importância estratégica

A chegada do NAM “Atlântico” a Cabedelo não apenas reforça a importância estratégica do Porto para a região, mas também simboliza o compromisso da Marinha com o desenvolvimento local e a integração regional. Segundo Marcos Souto Maior Filho, presidente da SOAMAR no estado da Paraíba, esse evento representa um marco significativo, abrindo caminho para futuras operações e facilitando a chegada de outras embarcações.

SOAMAR: Uma ponte entre a Marinha e a sociedade

Fundada em 1979 pelo Almirante de Esquadra Maximiano Eduardo da Silva Fonseca, a SOAMAR desempenha um papel fundamental na aproximação entre a Marinha e a sociedade civil. Com presença em mais de 54 cidades brasileiras e uma sede internacional em Portugal, a organização fomenta o desenvolvimento e a integração das Forças Armadas junto à população, promovendo uma maior compreensão e apoio às atividades militares e à importância estratégica do mar para o Brasil.

PEC da Defesa: Um marco legislativo para a segurança nacional

A tramitação da PEC 55/23, sob a autoria do Senador Carlos Portinho, na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) do Senado, é um passo crucial para o fortalecimento da Defesa Nacional. A proposição busca assegurar um fluxo orçamentário estável e previsível para os investimentos no setor, uma medida essencial para a manutenção da soberania e o desenvolvimento sustentável do país.

Marcelo Barros, com informações da Agência Marinha
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).