Formosa (GO) – O Comando de Defesa Antiaérea do Exército conduziu a Operação Sagitta Primus, exercício de adestramento de artilharia antiaérea que reuniu 17 organizações militares especializadas, envolvendo cerca de 500 militares, no Campo de Instrução de Formosa, entre os dias 11 e 17 de agosto.

O exercício teve início com a concentração estratégica dos meios em Brasília (DF) e em Formosa (GO), envolvendo o deslocamento de organizações militares de artilharia antiaérea sediadas em seis Comandos Militares de Área.

Nas instalações do 11º Grupo de Artilharia Antiaérea foram realizados o treinamento e a certificação das Guarnições de Mísseis RBS-70 e IGLA-S, por meio da utilização de simuladores.

Já no Campo de Instrução de Formosa, com as tropas no terreno, ocorreram instruções e demonstrações, buscando a padronização das técnicas, táticas e procedimentos dos subsistemas de armas, de controle e alerta, de comunicações e de logística, além da integração entre esses meios.

Na oportunidade, foram expedidas as ordens dos comandantes táticos envolvidos, nos escalões Grupo e Bateria, e os Comandantes de Seção de Artilharia Antiaérea apresentaram suas manobras no caixão de areia.

O exercício culminou com a realização dos tiros reais de artilharia antiaérea dos canhões 35 mm Gepard, do míssil telecomandado RBS-70 e do míssil portátil IGLA-S, além do desdobramento dos Radares de Busca Saber M60 e dos Centros de Operações Antiaéreas Eletrônicos.

Durante todas as fases do Exercício, ocorreram reuniões de comando, em que foram tratados assuntos referentes ao Programa Estratégico do Exército para Defesa Antiaérea e as perspectivas futuras. Também foram realizadas intervenções pelos comandantes das organizações militares de artilharia, apresentando as melhores práticas de suas unidades.

Além disso, assuntos doutrinários foram debatidos durante todo o Exercício, com a participação dos oficiais de Doutrina e Lições Aprendidas das unidades de artilharia antiaérea e de instrutores da Escola de Artilharia de Costa e Antiaérea (EsACosAAe), que contribuíram com a padronização das técnicas, táticas e procedimentos, além da apresentarem temas atuais sobre o emprego da artilharia em conflitos recentes.

Participaram da Operação Sagitta Primus 2022 o Cmdo DAAe Ex, EsACosAAe, 1º GAAAe, 2º GAAAe, 3º GAAAe, 4º GAAAe, 11º GAAAe, 12º GAAAe Sl, B Mnt Sup AAAe, Bia C/ Cmdo DAAe Ex, 2ª Bia AAAe, 3ª Bia AAAe, 5ª Bia AAAe L (Amv), 6ª Bia AAAe AP, 9ª Bia AAAe (Es), 11ª Bia AAAe AP e 21ª Bia AAAe Pqdt.

Fonte: Comando de Defesa Antiaérea do Exército

Marcelo Barros, com informações e imagens do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui