14/10/2023, Brasileiros na Faixa de Gaza, aguardando retorno para o Brasil via Egito. Foto: Itamaraty/Divulgação

O cenário na Faixa de Gaza se desenha como um labirinto de incertezas para os 34 brasileiros que lá se encontram, mas uma luz se acende ao fim do túnel com o anúncio do Itamaraty: a promessa de que, na próxima sexta-feira, esses compatriotas estarão finalmente atravessando a fronteira rumo à segurança. O adiamento anterior, que os manteve em solo conflituoso além do previsto, pesa no ar como uma neblina de ansiedade; contudo, há agora uma data fixa para o alívio desse peso.

Decisões de Alto Escalão

A complexa teia de diplomacia envolve conversas ao mais alto nível, demonstrando a gravidade da situação. O diálogo entre o ministro Mauro Vieira e o seu homólogo israelense, Eli Cohen, revela o empenho do Brasil em assegurar o bem-estar de seus cidadãos. A garantia de saída, embora tardia, é um reflexo das negociações delicadas em um tabuleiro onde cada movimento é calculado com precisão.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

O Procedimento de Evacuação

A lista de autorização para deixar Gaza, que inclui os brasileiros, é um documento de esperança, mas também um emblema das dificuldades enfrentadas pelos estrangeiros no enclave palestino. A inclusão de 36% de americanos já evacuados mostra que, embora haja progresso, o processo é seletivo e meticuloso, com cada nome sendo cuidadosamente considerado pelas autoridades de Israel e Egito.

A Situação na Fronteira

Rafah emerge como um ponto de partida não apenas geográfico, mas também emocional. É ali que o coração bate mais forte pela proximidade da fronteira e pelo desejo palpável de retorno. A cidade, juntamente com Khan Younes, abriga os brasileiros que aguardam o momento de cruzar a fronteira, e cada dia a mais é um dia contado com esperança e oração.

Com info da Agencia Brasil

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).