Equipamentos irão auxiliar trabalhos de resgate das equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil. Foto: Michel Corvello

No sábado, 11 de maio, a cidade de Pelotas viu a chegada de reforços significativos para enfrentar as severas inundações que têm devastado a região. Duas unidades do blindado anfíbio Guarani, pertencentes à 8ª Brigada de Infantaria Motorizada do Exército Brasileiro, foram deslocadas para o município para auxiliar nas operações de resgate em áreas particularmente afetadas pelas águas.

Capacidades Excepcionais

Os blidados Guarani são conhecidos por sua robustez e versatilidade, pesando quase 15 toneladas cada e capazes de atingir velocidades de até 100 quilômetros por hora. Equipados com motores blindados de 383 cavalos, esses veículos são capazes de operar tanto em terra quanto em água, o que os torna ideais para a navegação através de áreas alagadas onde veículos normais não conseguiriam acessar.

Apoio Crucial no Resgate

blank
Foto: Michel Corvello

A prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas, e o General Murray [Richard Wallace Scott], comandante da 8ª Brigada, destacaram a importância desses veículos anfíbios nas operações correntes. A prefeita expressou sua gratidão pelo apoio militar, enfatizando que os blindados Guarani são fundamentais para garantir que as operações de resgate sejam realizadas com a máxima segurança e eficiência, especialmente nas regiões do balneário Valverde e do Laranjal.

Testemunhos da Comunidade

Foto: Michel Corvello

Os moradores, como Dona Ivonir, uma aposentada de 66 anos, testemunharam a eficácia e a rapidez dos resgates realizados com o auxílio desses tanques. Dona Ivonir, que foi resgatada durante uma das operações, descreveu os militares como “anjos”, agradecendo o esforço e a assistência recebida em um momento de extrema necessidade.

Alertas e Precauções

Com a continuação das chuvas e o risco de mais inundações, a prefeitura de Pelotas manteve o alerta de evacuação imediata para os balneários mais afetados, como Valverde e Santo Antônio. Os residentes de áreas de risco foram instruídos a buscar refúgio seguro, seja em casas de familiares e amigos ou nos abrigos públicos disponibilizados pelo município.

Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).