Google News

Nesta sexta-feira (05), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) iniciou uma parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) em um projeto de pesquisa sobre formulação de biocombustíveis para veículos movidos à gasolina. A Universidade Corporativa da Polícia Rodoviária Federal (UniPRF), por meio da Coordenação de Pesquisa, intermediará esse estudo, que tem por finalidade ofertar soluções nas áreas de emissão de poluentes e melhoria na relação consumo Litro/Quilômetro.

Os estudos têm previsão de duração de 2 anos. Na primeira fase serão objeto de pesquisa a formulação de combustíveis, os testes de bancada e demais experimentos em ambiente controlado (UFRN). Já na segunda etapa, a biogasolina desenvolvida será avaliada em viaturas da PRF em condições normais de uso e em testes em pista fechada. Os veículos serão conduzidos por especialistas em Condução Veicular Policial, buscando assim uma análise técnica da resposta dos veículos em relação ao novo biocombustível desenvolvido.

A reunião de formalização do projeto contou com a participação dos seguintes representantes:
PRF Rigo – Coordenador Geral da UniPRF;
PRF Rapetti – Coordenador de Pesquisa da UniPRF;
PRF Gilson – Superintendente da PRF em Rondônia;
PRF Djairlon – Superintendente da PRF no Rio Grande do Norte;
Prof. Dr. Eduardo Lins – Professor titular da UFRN
PRF Oliveira – Núcleo de Educação Corporativa/RO e aluno de Doutorado da UFRN;
PRF Albuquerque – Pesquisas da UniPRF

Esta atividade, assim como outras pesquisas realizadas pela UniPRF, consolidam a missão da Polícia Rodoviária Federal de garantir a prosperidade da nação, garantindo segurança pública e a mobilidade no Brasil.

Fonte: Agência PRF

Participe do nosso grupo e receba as principais notícias do Defesa em Foco na palma da sua mão.

blank

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.



Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do Defesa em Foco em seu e-mail, é de graça!

1 COMENTÁRIO

  1. Acho muito interessante essa parceria; uma pelo fato da despoluição do meio ambiente, e a outra para que se retome a qualidade dos combustíveis que nos últimos 20 anos perdeu a qualidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui