Reprodução/Braskem

A Prefeitura de Maceió comunicou os órgãos de controle e de segurança sobre o risco de colapso iminente na mina 18 da Braskem, situada no bairro Mutange. O anúncio foi feito na tarde desta quarta-feira (29), indicando a gravidade da situação e a necessidade de uma resposta coordenada e eficaz.

Comunicação Oficial a Órgãos Relevantes

Um ofício detalhando a situação foi enviado a várias entidades, incluindo o Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público Estadual (MPAL), Defensoria Pública do Estado de Alagoas (DPE), além de comandos da Marinha do Brasil, Exército Brasileiro, Polícia Militar de Alagoas (PMAL), Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas (CBMAL), Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), Equatorial Energia Alagoas e Algás. Essa comunicação visa garantir uma ação conjunta e coordenada entre os órgãos responsáveis.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Operação Contínua do Gabinete de Crise

O Gabinete de Crise, estabelecido emergencialmente pela prefeitura, terá operação contínua para monitorar a situação e adotar todas as medidas necessárias para proteger a população. A iniciativa demonstra o compromisso da prefeitura em lidar com a crise de forma proativa, buscando evitar danos maiores e salvaguardar vidas.

Comunicação Direta com a População

A prefeitura assegurou que manterá uma comunicação direta e constante com a população e a imprensa de Maceió, fornecendo atualizações regulares sobre a situação. Esse fluxo de informação é essencial para manter todos informados e preparados para quaisquer desenvolvimentos.

Preparação e Prevenção em Maceió

A criação do Gabinete de Crise pela Prefeitura de Maceió e a comunicação efetiva com os órgãos de controle e segurança refletem a seriedade com que o risco de colapso na mina da Braskem está sendo tratado. Estas ações são fundamentais para a prevenção de desastres, a proteção da comunidade e a garantia da segurança pública na área afetada.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).