A cerimônia de encerramento do Curso de Mestrado em Ciências de Defesa e Segurança Interamericanas, do Colégio Interamericano de Defesa (CID), nos Estados Unidos da América (EUA), aconteceu nesta sexta-feira (24/06). Entre os formandos estavam os Coronéis Aviadores James Souza Short e Luciano Fontana Lima, os quais fizeram parte da Classe 61, cujas aulas tiveram início em julho de 2021, reunindo 58 estudantes civis e militares de 14 países do continente americano.

Participaram, ainda, entre outras autoridades o Representante Permanente do Brasil junto à OEA, Embaixador Otávio Brandelli; o Chefe da Representação Brasileira na JID (RBJID), Major-Brigadeiro do Ar Edson Fernando da Costa Guimarães; o Vice-Diretor do CID, Brigadeiro do Ar Leonardo Chaves Rodrigues, e o Adido de Polícia Federal do Brasil, Delegado Rolando Alexandre de Souza.

Para o Coronel Short, a graduação representa o corolário de um ano dedicado aos estudos em Defesa e Segurança, focados principalmente no hemisfério ocidental. “Foi gratificante e proveitoso interagir com os colegas de turma, profissionais que são destaques dos países vizinhos e, assim, compartilhar experiências e desenvolver trabalhos acadêmicos com uma visão mais ampla da região”, disse o Oficial.

Já o Coronel Fontana destacou que o mestrado proporcionado pelo CID ampliou seus horizontes acerca das relações internacionais e do sistema interamericano. “De maneira diversificada, por meio de aulas, palestras, workshops, conferências, viagens de estudo, e visitas a destacadas instituições internacionais de Defesa e Segurança, tive o privilégio de ampliar conhecimento, de entender a complexidade das questões hemisféricas e, ainda, estabelecer novos contatos profissionais”, completou.

Localizado no Fort Lesley J. McNair, Base do Exército Americano em Washington-DC (EUA), o CID é uma instituição acadêmica internacional ligada à Junta Interamericana de Defesa. O Colégio celebra este ano seu sexagésimo aniversário. O Brasil está presente desde a primeira turma (Classe 1) quando então era ministrado o Curso de Defesa Continental. Como exemplos de parceria do Brasil com o Colégio, estão os acordos de cooperação com a Escola Superior de Guerra (ESG), do Ministério da Defesa, e com a Academia Nacional de Polícia (ANP), da Polícia Federal, celebrados, respectivamente, em março de 2021 e em junho de 2022, possibilitando o desenvolvimento de temas de interesse comum nas áreas de ensino e pesquisa.

O Vice-Diretor do CID, Brigadeiro Leonardo cita a importância estratégica do CID para o continente americano. “O ambiente acadêmico é marcado por uma rica diversidade, onde se tem a visão e a voz dos países de nosso hemisfério ocidental, representados por civis e militares de diversas instituições”. E destaca a recente acreditação conquistada junto à Middle States Comission on Higher Education (MSCHE). “É uma das mais prestigiadas nos Estados Unidos, o que representa um selo de qualidade para o Colégio, fortalecendo o planejamento já iniciado para o futuro programa de Doutorado em Ciências de Defesa e Segurança Interamericanas”, pontuou o Oficial-General.

Colégio Interamericano de Defesa

O Colégio Interamericano de Defesa tem como missão peparar militares, policiais nacionais e funcionários civis dos governos dos estados membros da OEA para assumir altos cargos estratégicos em seus governos, mediante o Programa de Pós-Graduação e o Programa Acadêmico Avançado em Defesa, Segurança e Disciplinas afins voltadas para o Hemisfério. Com a formatura ocorrida hoje, o CID atinge a marca de 3.105 formandos de 28 países.

Fotos: Suboficial José Arimatea Costa Sobrinho (FAB) e SSgt Mozer da Cunha (USAF)

Marcelo Barros, com informações e imagens da Agência Força Aérea
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui