Rio de Janeiro – (RJ) Na manhã do dia 3 de junho, o Museu Militar Conde de Linhares (MMCL) recebeu da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) a Viatura Blindada de Combate Obuseiro Autopropulsado M108. Após mais de 40 anos de bons serviços prestados, na formação dos oficiais da arma de Artilharia, em Resende/RJ, o blindado foi incorporado ao acervo histórico do MMCL, conforme determinações expedidas pelo Comando Logístico do Exército.

A adoção dos M108 pelo Exército Brasileiro, no início da década de 1970, é creditada pela celebração, no início de 1952, do Acordo Militar Brasil-Estados Unidos. Os blindados proporcionaram, à época, significativa evolução na doutrina de emprego da Artilharia, garantido o apoio de fogo contínuo aos elementos de manobra, dada a elevada mobilidade e flexibilidade que o material proporciona em qualquer terreno.

Contribuíram para a preparação do blindado e realização do evento o Arsenal de Guerra do Rio, Batalhão Central de Manutenção e Suprimento, o Batalhão de Manutenção e Suprimento de Armamento, o Estabelecimento Central de Transportes, o 1º Batalhão de Guardas – Batalhão do Imperador e o 1º Batalhão de Polícia do Exército.

A transferência foi marcada por uma solenidade na nova casa da peça de artilharia, com a presença do Vice-Chefe do Departamento de Educação e Cultura do Exército, General de Divisão Ribeiro; do Diretor do Patrimônio Histórico e Cultural do Exército, General de Brigada Sibinel; do Comandante da Artilharia Divisionária da 1ª Divisão de Exército e da Guarnição Militar de Niterói, General de Brigada Fabiano; do Chefe da Assessoria de Doutrina do DECEx, General de Brigada R1 Lourenço William; do Diretor do Museu Histórico do Exército e Comandante do Forte de Copacabana, Coronel Moraes; dos Administradores da Ordem dos Velhos Artilheiros, Coronel R1 Arthur e Coronel R1 Balbi; do Presidente da Associação Nacional dos Veteranos da Força Expedicionária Brasileira, Coronel R1 Seixas Duarte; do Presidente do Clube de Veículos Militares Antigos do Rio de Janeiro, Sérgio Capella; do representante do Comando do Curso de Artilharia da AMAN, Major Mello Filho; do Presidente da Academia de História Militar Terrestre do Brasil, Professor Israel Blajberg; e do Segundo-Sargento R1 César, que dedicou cerca de 37 anos aos M108 da AMAN.

Fonte: Museu Militar Conde de Linhares

Marcelo Barros, com informações e imagens do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui