Estimados companheiros!

Militares da ativa, veteranos, servidores civis e querida família militar, é com muita gratidão, orgulho e reconhecimento pelo dever cumprido que transmito a todos minha mensagem de encerramento do ano de 2022, um ano de trabalho árduo e grandes desafios, mas pleno de êxitos!

Nossos profissionais, uma vez mais, mostraram seu imenso valor no rigor dos exercícios, operações e tarefas, em todos os rincões de nosso amado país e também no exterior, com o Braço Forte a prover a defesa da Pátria e com a Mão Amiga a mitigar o sofrimento de nossos irmãos nas situações de emergência e crises humanitárias.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

O ano de 2022 marcou o bicentenário de nossa Independência, rememorado pelas comemorações ocorridas em todo o território nacional. Foi também um momento para refletirmos sobre os destinos que almejamos e projetarmos o futuro que se descortina para nosso amado Brasil.

Sob o aspecto da manutenção de nossa soberania, o Exército Brasileiro, dentro da concepção do Plano de Proteção Integrada de Fronteiras, tem realizado, há vários anos, as denominadas Operações Ágata, com o objetivo de reduzir a incidência dos crimes transfronteiriços e ambientais e coibir as ações do crime organizado nas regiões lindeiras. Trata-se de uma operação conjunta das Forças Armadas, com o apoio de órgãos e agências federais, estaduais e municipais, nas áreas do Comando Militar da Amazônia, do Comando Militar do Norte, do Comando Militar do Oeste e do Comando Militar do Sul. No ano de 2022, foram realizadas mais de 490 operações dessa natureza, singulares e/ou conjuntas, que resultaram na apreensão de substâncias entorpecentes, armamento e munições ilegais, veículos e embarcações utilizadas em atividades ilícitas, contribuindo para o fortalecimento da soberania na faixa de fronteira brasileira.

No corrente ano, tivemos o privilégio de assumir a presidência da Conferência dos Exércitos Americanos, realizando encontros bilaterais com os comandantes dos diversos exércitos amigos.

Também foi realizada, com pleno êxito, a 1ª fase da chamada Operação Paraná III, um exercício combinado baseado em simulação construtiva e inserido no contexto da Conferência dos Exércitos Americanos (CEA). Constituiu-se em uma operação de ajuda humanitária com o objetivo de integrar os exércitos das Américas, aprofundando a interoperabilidade e a capacidade de planejamento de um estado-maior multinacional.

O Brasil participou, ainda, do Exercício Viking 2022, maior exercício de simulação virtual assistida por computadores do mundo, coordenado com o Reino da Suécia. Sob o tema “operações de paz”, a atividade envolveu mais de 30 nacionalidades distintas, num ambiente multifuncional e multidimensional. O Exército Brasileiro foi a instituição responsável pelo exercício, contando com a participação de militares das demais Forças Singulares e integrantes de instituições civis.

O treinamento de tropas para missões de paz também fez parte de nossas atividades operacionais, com a certificação de um Batalhão de Infantaria Leve da 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel), uma Subunidade de Ação Rápida de Selva da 23ª Brigada de Infantaria de Selva e um Hospital de Campanha nível 2 da Base de Apoio Logístico do Exército, os quais foram disponibilizados ao Sistema de Prontidão de Capacidades de Manutenção da Paz das Nações Unidas (UNPCRS).

Cabe destacar que o Centro de Inteligência do Exército (CIE) participou das Reuniões de Coordenação Militar (RCM) e das Reuniões Regionais de Intercâmbio Militar (RRIM), buscando o intercâmbio entre especialistas de inteligência de outros países, contribuindo para a manutenção dos laços de amizade com nações amigas no contexto da diplomacia de Defesa.

Buscou-se, ainda, reforçar a mentalidade de segurança orgânica por meio da difusão de diversos produtos, com a finalidade de salvaguardar os ativos da Força. Da mesma forma, aprimorou-se a atividade de inteligência militar com o foco no apoio às operações militares, por intermédio do Programa Estratégico denominado Lucerna.

A fim de assegurar o regular e efetivo emprego do Sistema de Engenharia em benefício do Estado brasileiro, o Departamento de Engenharia e Construção continuou realizando as gestões de projetos, obras, patrimônio imobiliário, meio ambiente, materiais e operações de engenharia.

No ano de 2022, no rol de entregas desse Sistema, destacase a usina fotovoltaica do QGEx, maior conjunto de produção de energia limpa do Distrito Federal. Com uma potência instalada de 2,4 megawatts, tornou-se responsável por fornecer mais de 40% da energia consumida no Forte Caxias, resultando em uma significativa economia mensal. Não menos importante, a construção de 132 Próprios Nacionais Residenciais distribuídos pelo País reforça o apoio à Família Militar, base fundamental na consolidação e manutenção da coesão da Força.

No âmbito das cooperações interagências, a parceria com o Ministério da Defesa e com a Marinha do Brasil propiciou a expansão da Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia, no Rio de Janeiro, com a construção de hangares para o reparo de aeronaves. A integração com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes legou à sociedade roraimense e acriana mais de 94 km de obras de pavimentação e manutenção da BR 364.

Na área ambiental, a efetivação de legislação atinente ao tema, bem como o constante aprimoramento técnico da Força, colocam o Exército na vanguarda da proteção e conservação dos biomas nacionais.

Dentro da Força, o contínuo aperfeiçoamento da gestão do material de engenharia por intermédio do Sistema de Gestão de Material Classe VI consubstanciou-se na aquisição da passadeira de assalto IAB, da LSB Uniflote, da viatura blindada especial de engenharia Guarani, além de máquinas e equipamentos que potencializam a capacidade operativa da Engenharia brasileira.

Coube, ainda, à Engenharia a elaboração de projetos e o planejamento de obras de grande porte, destacando-se a construção dos Colégios Militares de São Paulo e da Vila Militar de Deodoro, a reforma do Hospital Central do Exército, a estruturação do Forte Santa Bárbara, a ampliação da Academia Militar das Agulhas Negras e a construção da nova Escola de Sargentos do Exército, totalizando mais de um bilhão de reais de investimentos nos próximos anos.

Orgulhemo-nos de fazer parte de uma instituição que, mantendo-se em adequado estado de prontidão, esmera-se, também, em planejar as bases para seu futuro, alinhando as ações do Planejamento Estratégico da Força e promovendo o Portfólio Estratégico. O resultado é que a sociedade brasileira receberá uma instituição moderna, apta a responder aos desafios dos próximos anos.

A Base Industrial de Defesa e Segurança tem gerado diversos frutos, como o Projeto Rádio Definido por Software e o desenvolvimento do Rádio Mallet, em substituição aos produtos importados.

Este ano foi marcado pelo esforço em aparelhar adequadamente os efetivos da Força Terrestre para o bom cumprimento de nossas missões. A consequência imediata para a tropa foi a aquisição e distribuição de mais de 5.000 itens de material de emprego militar, como os modernos fuzis IA2 e morteiros, bem como a efetivação do projeto piloto de aquisição de suprimentos de uso comum nas Forças Armadas, visando à manutenção e ampliação do poder de combate.

O Exército é, também, o principal responsável pela proteção e o desenvolvimento do espaço cibernético brasileiro. Nesse sentido, avançamos no desenvolvimento do simulador de ações cibernéticas, dos módulos de ações e de proteção cibernética e assinamos o contrato do Centro de Operações de Defesa Cibernética (CopDCIBER).

A produção da família de viaturas blindadas sobre rodas Guarani, desenvolvidas em parceria com a empresa italiana IVECO é um case de sucesso dentro do Programa Estratégico do Exército Forças Blindadas. Da mesma forma, podemos citar outros, como a aquisição de viaturas blindadas de transporte de pessoal 4×4 e viaturas obuseiro 155 mm, o contrato de aquisição das viaturas blindadas de combate de cavalaria 8×8 e a modernização das viaturas Cascavel e Leopard 1A5.

Ainda neste ano de 2022, foram enviados 462 militares ao exterior para cumprir missões de natureza diplomática e permanente, de ensino e operacional. Merece especial menção o aumento da participação do segmento feminino do Exército Brasileiro em missões de paz, fazendo com que a Força cumprisse a meta de 19% de mulheres em cargos de missões de caráter individual, conforme estabelecido pela ONU.

A Assessoria Parlamentar prosseguiu atuando em prol dos Objetivos Estratégicos do Exército Brasileiro. Diversas proposições legislativas foram acompanhadas no Congresso Nacional, entre elas as que aprovaram a indicação de membro para o Superior Tribunal Militar e a doação de viaturas e de armamentos para os Exércitos do Uruguai e do Paraguai. Ademais, o trabalho da Assessoria Parlamentar contribuiu para a obtenção de 77 emendas parlamentares individuais, 10 emendas parlamentares de bancadas e cinco emendas parlamentares de comissão, assegurando um aporte extra ao orçamento do Exército de 2023.

Fruto do aperfeiçoamento constante e da qualidade do segmento jurídico do EB, em 2022, houve um aumento significativo das decisões judiciais favoráveis aos interesses do Exército. Esse incremento foi possibilitado por meio da otimização do relacionamento institucional com a AGU, do fluxo de informações prestadas pelas OM e do acompanhamento cerrado das demandas judiciais, o que permitirá, em curto, médio e longo prazos, uma economia expressiva de recursos que serão revertidos para a atividade-fim.

Dentro das celebrações do ano de 2022, foi realizada a Olimpíada do Bicentenário da Independência do Brasil, organizada pelo Centro de Capacitação Física do Exército, cujas Escolas de Educação Física e de Equitação completaram 100 anos de existência, com relevantes serviços prestados ao Exército e ao Brasil.

O Exército não esquece, jamais, do legado daqueles que um dia vestiram suas cores, que marcam a alma de forma indelével: nossos veteranos. A reserva proativa participa das atividades das organizações militares e mantém-se atualizada por meio do informativo O Veterano. Destinado aos integrantes da Reserva Remunerada, aos Reformados, às pensionistas, às agremiações de militares da reserva, aos ex-alunos dos Colégios Militares e ex-integrantes de outros estabelecimentos de ensino do Exército Brasileiro, serve como importante vetor do Centro de Comunicação Social do Exército.

No campo da comunicação estratégica, a Rádio Verde-Oliva é uma valiosa ferramenta, permitindo que a “voz” do Exército alcance cada vez mais públicos e rincões. Esse ano, tivemos a ampliação do Sistema Verde-Oliva de Rádio (SISVOR) por meio da implantação da estação da Academia Militar das Agulhas Negras.

O extremo respeito com que é tratada a nossa Família Militar é o testemunho da prioridade dada pelo Exército ao seu maior patrimônio: a Dimensão Humana da Força. Esse cuidado materializa-se na melhoria da rede dos estabelecimentos de ensino militares e na assinatura do acordo de cooperação que viabiliza a construção da Escola de Sargentos do Exército, na preocupação com o jovem cidadão, por meio da adoção do alistamento e dos certificados online, bem como na ampliação da rede de moradias e modernização de nossas organizações de saúde.

Prestamos, também, aqui, a nossa homenagem ao segmento da Saúde Assistencial, parcela que tem se dedicado diretamente, nos últimos três anos, ao combate à pandemia de covid-19, atendendo não só ao público interno, mas, também, à sociedade em geral.

Podemos citar, ainda, no universo de medidas de apoio ao pessoal, a assinatura do Acordo de Cooperação Técnica 07/2022, entre o Exército Brasileiro e o Ministério do Trabalho e Previdência, que reconhece e valida as qualificações profissionais oferecidas pelo Exército aos cabos e soldados, aprovando e certificando os cursos que facilitarão a reinserção dos reservistas no mercado de trabalho.

É motivo de extremo orgulho fazer parte um Exército forte, coeso, comprometido com seus ideais, que tem sua formação lastreada nos mais caros valores, tradições e princípios morais e éticos, que o tornam, perene e indissociavelmente, unido ao povo a que serve. Vislumbramos os enormes desafios que se avizinham nos anos que estão por vir e confiamos no profissionalismo e na liderança dos nossos oficiais, subtenentes e sargentos na condução dos homens e mulheres que compõem a nossa Força nos caminhos da hierarquia e da disciplina.

Prezados irmãos de armas! Por fim, aproveito o momento para reiterar o inabalável compromisso do Exército com a defesa do Estado brasileiro, que consiste em sua missão expressa na Constituição Federal, e cujo fiel cumprimento garante que façamos parte de uma das instituições que gozam de maior credibilidade junto ao povo desta nação. Agradeço a todos e desejo que o bom Deus dos Exércitos abençoe as nossas famílias com um 2023 pleno de sucesso e realizações!

“Que a honra, esse presente muito especial que o homem dá a si mesmo, os acompanhe em suas caminhadas!”

Braço Forte, Mão Amiga!

Brasil, acima de tudo!

Brasília-DF, 28 de dezembro de 2022.

General de Exército MARCO ANTÔNIO FREIRE GOMES
Comandante do Exército

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).