blank

Google News

O Exército Brasileiro, por meio do Comando da 6ª Região Militar (6ª RM), sediado em Salvador, tem empregado suas tropas em apoio à população dos 37 municípios atingidos por fortes chuvas no sul da Bahia. As ações do auxílio, denominado Operação Jucuruçu, ocorrem desde o início de dezembro e empregaram mais de 400 militares pertencentes às organizações militares situadas no estado da Bahia, sediadas nas cidades de Salvador, Feira de Santana, Barreiras, Paulo Afonso, além de militares pertencentes ao 1º Batalhão de Aviação do Exército, situado na cidade de Taubaté (SP).

Entre no canal do Defesa em Foco no Whatsapp e fique por dentro de todas as notícias do dia

Mais de 150 pessoas foram transportadas, resgatadas ou evacuadas. Também foi prestado suporte a 12 aldeias indígenas e a outros 110 distritos espalhados nos 37 municípios apoiados durante a operação. Na segunda fase das ações, em grande parte dos municípios, os militares participaram de apoio a órgãos de Defesa Civil, para os cidadãos desabrigados ou desalojados, por meio da montagem de cestas básicas, embarque ou desembarque de material, transporte e distribuição da água e alimentos, totalizando mais de 500 toneladas durante a operação.

Foram ainda transportados e distribuídos mais de 20 mil itens entre colchões, cobertores, calçados, roupas, kits de higiene, limpeza e medicamentos. A integração entre as diversas instituições federais, estaduais e municipais foi fundamental para viabilizar o apoio à população afetada.

Detalhes da operação 
A participação de militares do Exército foi iniciada imediatamente após o acionamento da operação, no dia 11 de dezembro, com a ativação de um Centro de Operações responsável pelas coordenações logísticas, administrativas e operacionais necessárias à tropa. Os militares foram deslocados para os municípios mais afetados, permitindo, dessa forma, o tempo necessário para a reorganização dos órgãos de Defesa Civil que seriam empregados.

Foram mobilizadas duas aeronaves HM-4 Jaguar, duas aeronaves HM-1 Pantera, dois drones, 46 viaturas, cinco embarcações, uma escavadeira e uma carregadeira. A permanência de militares na operação ocorreu de acordo com a solicitação do Ministério do Desenvolvimento Regional, que propiciou o apoio necessário à população afetada pelas enchentes, sendo seu efetivo ajustado conforme solicitação dos órgãos supracitados.

As ações da tropa durante a operação podem ser faseadas conforme objetivos específicos. No período inicial, como o objetivo era a preservação de vidas, foi priorizado o emprego de aeronaves para realizar o resgate e a evacuação de cidadãos feridos ou em área de risco, bem como o transporte de profissionais capacitados para realizar as operações em área de risco. Simultaneamente, foi realizado o reconhecimento de eixos e áreas afetadas, onde se fez necessário ainda o auxílio para a desobstrução de vias, contribuindo, desta forma, para o reestabelecimento da normalidade social da região.

Fonte: 6ª Região Militar