Na última quinta-feira (23), a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (FIRJAN) celebrou o Dia da Indústria com o Seminário Nova Indústria Brasil, realizado na sede da instituição. Durante o evento, a Empresa Gerencial de Projetos Navais (EMGEPRON) foi reconhecida como ‘Empresa do Ano’, uma homenagem que enaltece o papel fundamental das empresas que têm contribuído significativamente para a indústria e a economia do estado do Rio de Janeiro e do país.

Divisão do Seminário em Painéis

blank

O seminário foi estruturado em dois painéis principais.

Primeiro Painel: Discutiu a importância das políticas industriais para promover o crescimento econômico, utilizando como base as experiências de diferentes países. Especialistas destacaram como essas políticas podem servir de guia para o desenvolvimento sustentável e a competitividade global.

Segundo Painel: Foi composto por salas de debate em seis áreas estratégicas, com destaque para a área de Defesa, cujo tema central foi “Tecnologias de Interesse para a Soberania e Defesa Nacionais”. A EMGEPRON teve um papel de destaque nessa discussão, abordando os investimentos e os produtos da Base Industrial de Defesa.

Debates Sobre a Base Industrial de Defesa

Durante os debates, os participantes exploraram diversos aspectos dos projetos de defesa, incluindo segurança pública e nacional. Foram discutidas as características intrínsecas da indústria de defesa, que é intensiva em tecnologia e inovação, possuindo um ciclo de produto curto e uma alta taxa de obsolescência.

Importância da Política Industrial para o Setor de Defesa

Em sua apresentação, o Diretor-Presidente da EMGEPRON, Vice-Almirante (RM1-IM) Edesio Teixeira, destacou a relevância da política industrial focada no setor de defesa para garantir a soberania nacional. Ele salientou que:

“O segmento do mercado de defesa é intensivo em tecnologia e inovação e tem um ciclo de produto curto, com alto grau de obsolescência. É uma área que depende das condições geopolíticas do mundo, que tem alta influência e necessita de investimentos em automação, desenvolvimento de novos sistemas e a utilização de veículos autônomos. O mercado de defesa necessita do Estado, que mesmo dentre outras demandas prioritárias, mantém um nível de atividade que permite ao país ter uma indústria de defesa com capacidades de engenharia, tecnológica, industrial e de logística.”

Encerramento e Homenagens

No encerramento do evento, o presidente da FIRJAN, Eduardo Eugênio, juntamente com outros membros da federação, entregou a Medalha do Mérito Industrial e a Placa de Homenagem ‘Empresas do Ano’ aos profissionais e empresas que se destacaram na indústria nacional.