A Primeira Aproximação de Performance de Navegação Requerida (RNP, do inglês, Required Navigation Performance) para pista homologada somente para operações sob Regras de Voo Visual (VFR) na Amazônia Legal, aconteceu na última quinta-feira (19/05). O Quarto Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA IV) coordenou o procedimento inédito na pista do aeroporto de Parintins (SWPI), cidade distante 369 quilômetros de Manaus (AM).

A operação só foi possível com os esforços do Departamento do Controle do Espaço Aéreo (DECEA) na viabilização de novas tecnologias por meio dos conceitos de Navegação Aérea Baseada em Performance (PBN) e da pioneira normatização da Elaboração de Procedimentos de Aproximação RNP, para atender pistas homologadas apenas para operações sob VFR.

i2252013553101115Esse tipo de procedimento, que utiliza a capacidade embarcada das aeronaves, no caso a Navegação de Área Satelital (GNSS, do inglês, Global Navigation Satelital System), visa proporcionar a transição do voo em rota para os fixos iniciais de aproximação, com trajetórias definidas, bem como descida estabilizada na aproximação final, utilizando gradientes ótimos e garantindo ganhos reais em termos de segurança e regularidade nas operações aéreas.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

O Comandante do CINDACTA IV, Brigadeiro do Ar Raul Carlos Camara Borges, e o Chefe da Divisão Operacional do CINDACTA IV, Tenente-Coronel Aviador Alessandro Silva, acompanharam o procedimento do Centro de Controle de Área Amazônico (ACC-AZ). Em Parintins, a ação foi coordenada pelo Chefe da Subdivisão de Operações Militares do CINDACTA IV, o Tenente-Coronel Controlador de Tráfego Aéreo Edivaldo Cardoso dos Santos.

i2252013553006438A seguir, registros dos trechos da conversa do piloto da Azul Linhas Aéreas Brasileiras com o controlador de tráfego aéreo do ACC-AZ, no momento do procedimento:

– “Azul 4468, confirme se tem intenções de executar o procedimento para a pista 06 de Parintins”

– “Afirmo. Azul 4468”.

– “A Força Aérea Brasileira sente-se honrada em informar que a sua aeronave será a primeira a executar esse tipo de procedimento para pista homologada apenas para operação visual na Região Amazônica.”

– “Ciente. Azul 4468”.

– “Azul 4468, reporte iniciando o procedimento RNP para a pista 06 de Parintins.”

i2252013553108676– “Sinto-me extremamente honrado por ter sido o primeiro a realizar o procedimento, irretocável, diga-se de passagem. A Força Aérea Brasileira, mais uma vez, contribuindo bastante para a garantia da segurança das operações aéreas em Parintins”, disse o Comandante da aeronave Azul 4468, o piloto Nilson Santos.

Foi um marco, tanto para o aeroporto de Parintins quanto para o controle do espaço aéreo na Amazônia. “Esse procedimento utiliza a capacidade embarcada nas aeronaves para prover, a partir de sinais satelitais, nesse caso específico, sua posição tridimensional com a máxima precisão”, explicou o Tenente-Coronel Cardoso.

Fonte e fotos: CINDACTA IV

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).