O universo da aviação está prestes a testemunhar uma revolução tecnológica. O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em parceria com o Instituto de Controle do Espaço Aéreo (ICEA), lançou o Data Science Challenge, uma competição que visa incentivar estudantes a desenvolverem soluções inovadoras para a aviação utilizando a ciência de dados. Esta iniciativa não só destaca a importância da inovação no setor aéreo, mas também reforça o compromisso dessas instituições em fomentar a pesquisa e o desenvolvimento tecnológico no Brasil.

Como Funciona o Desafio

O Data Science Challenge está aberto a todos os estudantes matriculados em cursos de graduação ou pós-graduação em instituições de ensino superior, sejam elas públicas ou privadas. As equipes, que podem ter até 3 membros, enfrentarão um desafio em duas etapas. Na primeira fase, os participantes terão que solucionar um problema de predição na aviação comercial usando inteligência artificial. Este problema foi cuidadosamente elaborado pelo ITA, ICEA e pela companhia aérea LATAM. Apenas cinco equipes avançarão para a próxima etapa após esta fase eliminatória.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A Jornada até a Vitória

Na segunda fase, as equipes selecionadas terão a tarefa de apresentar a metodologia da solução proposta, uma prova de conceito e seus resultados preliminares no dia 13 de outubro. O grande momento de reconhecimento virá durante o Seminário de Performance ATM, que ocorrerá de 6 a 8 de novembro em São José dos Campos. Os três melhores times não só receberão prêmios, mas também terão a honra de apresentar seus projetos inovadores para um público especializado.

O Data Science Challenge é mais do que uma simples competição. É uma oportunidade para jovens talentos mostrarem suas habilidades, aprenderem com os melhores profissionais do setor e contribuírem para o avanço da aviação no Brasil. Com o apoio do ITA e do ICEA, o futuro da aviação nacional parece estar em boas mãos.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).