Desenvolvimento e futuro. Essas palavras definem o encontro entre o Comandante da Força Aérea Brasileira (FAB), Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior e o CEO da empresa Saab, Micael Johansson, realizado nessa terça-feira (21/06), em Brasília (DF). Também estiveram presentes na visita o Diretor de Vendas Gripen, Mikael Franzén; e o Presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate, Brigadeiro do Ar Antonio Luiz Godoy Soares Mioni Rodrigues.

Durante a visita, realizada no Comando da Aeronáutica, o Tenente-Brigadeiro Baptista Junior enfatizou a relevância da parceria entre a Saab e a FAB, desde a escolha do Gripen no programa FX-2. Tal sinergia resultou em transferência de tecnologia para a indústria brasileira, para a Embraer e para demais empresas do setor. “A presença do CEO da Saab representa a importância que a empresa dá para essa parceria estratégica de longo tempo. Que continuemos evoluindo e pensando em novos produtos em prol do Brasil”, relatou o Comandante.

O encontro foi essencial para consolidar a cooperação firmada entre a FAB e a empresa sueca de Defesa e Segurança, uma vez que discutiram-se arcabouços de um novo contrato para a segunda fase do Projeto Gripen, o qual prevê a entrega de mais 26 aeronaves. Na ocasião, foram tratados temas como a arquitetura e os fatores básicos a serem estabelecidos nessa fase do Projeto.

Em sua visita, Micael Johansson parabenizou o país pelo trabalho desenvolvido pelos militares da FAB e destacou a importância do encontro não apenas para os negócios de hoje, como para os próximos produtos. “Foi uma conversa muito produtiva porque pudemos discutir assuntos essenciais para todos nós e também para a Força Aérea. Temos uma parceria excelente, e eu acredito que ela envolve indústria, defesa e estratégia, fornecendo subsídios para que juntos possamos construir um futuro baseado na força e na defesa aérea”, concluiu.

Sobre a Saab

A Saab é responsável pela criação de sistemas de defesa e segurança aeroespacial. A empresa sueca está no processo de fabricação de novos vetores da Força Aérea, o F-39 Gripen, e é conhecida por sua tradição na produção de aeronaves de caça desde a década de 1930. Os aviões que precederam o Gripen foram o Saab 29 Tunnan, o Saab 32 Lansen, o Saab 35 Draken e o Saab 37 Viggen. Os últimos modelos civis foram o Saab 340 e o Saab 2000.

Foto: Suboficial Manfrim/ CECOMSAER.

Marcelo Barros, com informações e imagens da Agência Força Aérea
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui