Niterói (RJ) – No dia 22 de novembro, foram realizadas no Centro de Instrução de Operações Especiais (CI Op Esp), Centro de Instrução Coronel Gilberto Antônio Azevedo e Silva, Berço das Operações Especiais, a Cerimônia de encerramento do Curso de Forças Especiais (C FEsp) e do Estágio de Mergulho a Oxigênio para Operações Especiais (EMOX), bem como as atividades comemorativas do Jubileu de Ouro (50 anos) do Curso de Ações de Comandos (CAC) e do Curso de Forças Especiais do ano de 1972, e do Jubileu de Prata (25 anos) do Curso de Ações de Comandos (CAC) e do Curso de Formação de Cabos Comandos (CFCC), ambos do ano de 1997.

Aos lídimos herdeiros (Jubileu de Ouro e de Prata) do Mestre de Campo Antônio Dias Cardoso e do Capitão Francisco Padilha, próceres das Guerras Brasílicas do Século XVII, no Nordeste brasileiro, e dos pioneiros do Curso de Operações Especiais de 1957, prestamos os nossos cumprimentos e agradecimentos pelos excepcionais serviços prestados às Operações Especiais, ao Exército Brasileiro e à Pátria, servindo de exemplo e modelo para as gerações mais recentes.

O Curso de Forças Especiais foi realizado no período de 12 de junho a 22 de novembro e concluído por 40 militares, sendo 24 oficiais e 16 sargentos, todos do Exército Brasileiro, o maior número história.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Profissionais rigorosamente selecionados e treinados, meticulosamente preparados a cumprir missões de elevado risco, que extrapolam as capacidades das forças convencionais, em operações singulares, conjuntas, multinacionais e/ou interagências, com um mínimo de direção e apoio, por meio de ações cobertas, clandestinas ou de baixa visibilidade, em áreas hostis, negadas ou politicamente sensíveis, em alvos de elevado valor estratégico, na defesa dos interesses nacionais.

O Estágio de Mergulho de Combate, por sua vez, foi realizado no período de 25 de outubro a 22 de novembro, tendo sido concluído por sete militares, sendo quatro oficiais e três sargentos, todos do Exército Brasileiro.

Militares aptos ao uso do equipamento de circuito fechado, ferramenta extremamente útil para uma aproximação subaquática e em segurança ao objetivo, garantindo um dos mais importantes princípios das Operações Especiais, para a obtenção da superioridade relativa, a surpresa.

A solenidade foi presidida pelo Chefe do Departamento de Engenharia e Construção, General de Exército Júlio Cesar de Arruda, e contou com as presenças das seguintes autoridades: Comandante Militar do Leste, General de Exército André Luis Novaes Miranda; Comandante Militar da Amazônia, General de Exército Achilles Furlan Neto; Ex-Ministro Presidente do Superior Tribunal Militar, General de Exército Raymundo Nonato de Cerqueira Filho; Vice-Chefe do Departamento de Educação e Cultura do Exército, General de Divisão Maurílio Miranda Netto Ribeiro; eterno Comandante de Operações Especiais, General de Divisão Mauro Sinott Lopes; Diretor de Educação Técnica Militar, General de Brigada Flavio Alvarenga Filho; Diretor do Patrimônio Histórico e Cultural do Exército, General de Brigada Luciano Antônio Sibinel; Chefe do Estado-Maior do Comando Militar do Leste, General de Brigada Sergio Borges Medeiros da Silva; Comandante de Operações Especiais, General de Brigada Carlos Alberto Rodrigues Pimentel; Comandante do Grupamento de Unidades Escola – 9ª Brigada de Infantaria Motorizada e eterno Comandante do CI Op Esp, General de Brigada Ricardo Luiz da Cunha Rabêlo; Comandante da 4ª Brigada de Infantaria Leve de Montanha, General de Brigada Júlio César Belaguarda Nagy de Oliveira; Comandante da Artilharia Divisionária da 1ª Divisão de Exército e da Guarnição de Niterói, General de Brigada Emerson Alexandre Januário; e Chefe do Centro de Coordenação de Operações do Comando Militar do Leste, General de Brigada Paulo Edson Santa Barba.

Cabe destacar, também, a ilustre presença do pioneiro das Operações Especiais, Coronel Paulo Filgueiras Tavares, Operador Especial 02. Outrossim, abrilhantaram a atividade diversos comandantes e representantes de organizações militares e instituições civis, militares da ativa e veteranos das Forças Armadas, bem como inúmeros familiares e amigos dos concludentes.

Encerrando o evento, de maneira muito especial e vibrante, foi realizado o tradicional desfile dos Operadores Especiais de todos os tempos, seguido dos concludentes do C FEsp e EMOX, e tropa do Centro de Instrução de Operações Especiais.

Fonte: Centro de Instrução de Operações Especiais
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).