CAPELA Militar da Universidade da Força Aérea

A Capela Militar da Universidade da Força Aérea (UNIFA), Nossa Senhora de Loreto, realizou no dia 06 de dezembro a comemoração do Jubileu da sua criação. Devido à pandemia da Covid-19, a cerimônia, que seria realizada no dia 23 de outubro (Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira), foi adiada. A missa foi presidida pelo Cardeal Arcebispo Dom Orani João Tempesta, pelo padre Adilson Antonio da Costa, Major Capelão da UNIFA e pelo padre Rogério de Azevedo Figueiredo, Major Capelão do Hospital de Aeronáutica dos Afonsos (HAAF).

Durante a missa, foi realizada a crisma de fiéis e uma bela homenagem a Nossa Senhora de Loreto. Dona Olga do Nascimento Figueiredo, 68 anos, do ministério de música, relatou seu envolvimento com a paróquia: “Frequento essa igreja desde 1961. Meu filho foi batizado aqui, minha filha fez a primeira comunhão e meu marido foi soldado em 1968. Ele que limpava e cuidava daqui. Em 2019, meu marido faleceu, Sub Oficial Percy Figueiredo. Agradeço ao Comando da UNIFA que permitiu que o corpo dele fosse velado nesse lugar tão importante na história de minha família”, disse.

Na cerimônia, foram entregues as autoridades religiosas e militares uma lembrança pelos 70 anos da igreja. O Coronel Aviador Alexandre Nogueira de Sousa, representando o Comandante Interino da UNIFA, Brigadeiro do Ar Luís Renato de Freitas Pinto, ausente por motivo de saúde, ressaltou a importância de celebrar essa data especial: “É uma satisfação enorme participar de uma cerimônia tão bonita e profícua, que retrata a história da nossa Capela aqui nos Afonsos e demonstra que o simbolismo de Nossa Senhora do Loreto e da nossa capela atravessa toda essa trajetória da história da Força Aérea. Em 2019 comemoramos os 100 anos da Instrução Militar na Aviação Brasileira aqui no Campo dos Afonsos e agora, 70 anos da nossa capela. É um momento de grande representatividade para a Força Aérea, para as famílias que vivem em torno dos Afonsos e para mim. Casei aqui e sinto uma felicidade imensa em comemorar esse momento importante”, declara.

A importância do Jubileu Lauretano

Segundo o Padre Adilson Antônio da Costa, Major Capelão da UNIFA, o Jubileu Lauretano corresponde a uma graça que todas as Forças Aéreas do mundo receberam do santo padre Pio XI, declarando Nossa Senhora de Loreto padroeira dos aeronautas. Quando a nossa Força Aérea foi criada em 1941, Já era tradição ter Nossa Senhora de Loreto como protetora, contudo, o fato mais marcante foi quando nosso Ministro da Aeronáutica e atual patrono, Marechal do Ar Eduardo Gomes, em 1967, foi ao Vaticano e solicitou ao Sumo Pontífice Paulo VI a composição da oração a Nossa Senhora de Loreto pedindo proteção aos aviadores.

“Nós estamos felizes porque logo que a Aeronáutica foi instalada e criada (1941), em 1949, o Ministro da Aeronáutica, o Excelentíssimo Senhor Tenente-brigadeiro do Ar Armando Trompowsky, com sua esposa, Sephora Trompowsky, e outras esposas de oficiais deram início a construção dessa capela dedicada a Nossa Senhora de Loreto, aqui no Campo dos Afonsos, que na época era Escola de Aeronáutica. Então, nós temos aqui uma capela próxima ao início da Aeronáutica brasileira. Talvez, uma das capelas mais antigas da nossa Força Aérea. Assim, o motivo tão importante dessa comemoração, cuja data histórica foi no último dia 23 de outubro, mas devido à pandemia, acabamos transferindo para a data de hoje, com a presença ilustre do nosso Cardeal Arcebispo Dom Orani”, explica Major Costa.

A construção da capela Nossa Senhora de Loreto está em harmonia ao conjunto arquitetônico de toda UNIFA que é marcada, por exemplo, pelos azulejos portugueses, pela arte da madeira entalhada e também pelos vitrais. Major Costa relatou que não havia placas que explicassem o significado dos vitrais que compõem a Capela. “Nós tivemos um casal muito querido, Adriano e Lívia, filhos de militares da Aeronáutica, que se dedicaram a estudar cada um dos vitrais, detectando os pormenores simbólicos religiosos e militares, e assim, puderam confeccionar placas informativas que hoje apresentamos à comunidade, e de certa forma, é um ganho histórico para toda a nossa Universidade da Força Aérea”, conclui.

Fonte: UNIFA

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui