Resende (RJ) – A Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) realizou no dia 26 de novembro, no Pátio Marechal Mascarenhas de Moraes (PMMM), em Resende (RJ), a Cerimônia do Aspirantado 2022, que marca o encerramento do Curso de Formação de Oficiais da Linha de Ensino Militar Bélica.

Os Cadetes deram início à solenidade trajando, pela última vez, o uniforme Azulão, parte da indumentária do cadete. Eles realizaram a restituição do Espadim, uma réplica da Espada de Caxias, as quais portaram desde o primeiro ano da formação na Academia Militar. Em um segundo momento, já trajando a túnica cinza, os Aspirantes receberam a Espada de Oficial do Exército Brasileiro, símbolo da honra militar.

Ao todo, concluíram o curso 395 Aspirantes, sendo 131 de Infantaria; 56 de Cavalaria; 57 de Artilharia; 42 de Engenharia; 47 de Intendência; 33 de Comunicações; e 29 de Material Bélico. No segmento feminino foram 20 aspirantes de Intendência e 13 de Material Bélico.

Esses militares são oriundos das cinco regiões do Brasil: Sudeste (225); Sul (71); Nordeste (43); Centro-Oeste (33); Norte (13). Destes, 10 são pertencentes a nações amigas, sendo: 1 da Guiana; 2 do Vietnã; 1 de Honduras: 1 do Peru; 3 de Camarões; e 2 do Panamá.

O Comandante da AMAN, General de Brigada João Felipe Dias Alves ressaltou o espírito de corpo fortalecido durante a caminhada de cinco anos. “A dura formação em Agulhas Negras fez crescer em vocês mais do que laços de amizade. Vocês se tornaram mais fortes e mais coesos. A camaradagem se fortaleceu e hoje, ao seu lado, está um verdadeiro “Irmão Por Escolha”, que estará sempre pronto a ombrear e estar contigo em futuras jornadas”.

A solenidade prosseguiu com o reconhecimento ao primeiro lugar da turma, Aspirante a Oficial Caio César Petrício Guimarães, de 24 anos, que recebeu das mãos do Presidente Jair Bolsonaro, a Espada de Oficial. Em seguida, seis oficiais generais fizeram a entrega das Espadas aos aspirantes que se destacaram em primeiro lugar em suas Armas, Quadro e Serviço, bem como a Medalha Marechal Hermes. Em seguida, madrinhas e padrinhos entregaram as Espadas aos demais aspirantes.

Junto da bandeira nacional, acompanhada dos Estandartes do Exército, do Corpo de Cadetes, e das Bandeiras Históricas do Brasil, também adentraram o pátio as bandeiras das nações amigas.

Durante o evento, o Arcebispo Ordinário Militar do Brasil, Dom Marcony Vinicius Ferreira, falou aos aspirantes. “Deus não os deixou em nenhum momento e não os deixará na continuidade da vida promissora de oficial”. Ele também convocou os presentes a realizarem a oração do Pai Nosso.

O Comandante do Exército, General Freire Gomes, também proferiu um discurso aos Aspirantes. “Vocês estão prontos, tenham confiança. Tenham confiança! Em breve, vocês chegarão a suas primeiras organizações militares espalhadas pelos rincões de nosso amado Brasil, trilhando os primeiros passos, não de uma carreira, mas de uma profissão de fé, sempre inspirada em nossa inabalável hierarquia e disciplina. Contribuam com empenho e dedicação”, destacou o Comandante.

Ao término da cerimônia do Aspirantado, todos foram convidados a entoar a Canção da AMAN.

Para a Aspirante a Oficial Caceres, um dia como este é a representação da felicidade. “Trata-se de muita honra portar agora a espada de oficial, que foi do meu irmão. Hoje é o dia mais feliz de minha vida”.

Ao final desse grande dia, a saída pelo Portão Monumental celebrou o “Adeus Aman!”

Um dia de emoção, um dia para ficar na memória da mãe do Aspirante Cassimiro, do curso de Infantaria. A bancária Rose Adriane afirmou que o filho sempre foi o orgulho da família. “Poder acompanhá-lo nessa trajetória é uma honra para nós”, revelou a matriarca, que esteve acompanhada do filho e do esposo, o Capitão Cassimiro.

O Aspirante a Oficial Cassimiro também se emocionou ao falar da conquista. “A família é o meu pilar. Poder servir ao Exército é motivo de grande responsabilidade e satisfação para mim”.

Orgulhoso também estava o comerciante Gerônimo Moura, pai do Aspirante Afonso Henrique, de Artilharia. Oriundo do Rio de Janeiro, ele contou que, mesmo diante das dificuldades, sempre motivou o filho a não desistir nunca. “É imensa a alegria de ter um filho que tem dado segmento ao que eu comecei. Fui soldado de nosso Exército. Sempre conversei com meu ele sobre perseverar diante das dificuldades, pois a vida faz compensar todas as adversidades”, destacou o pai orgulhoso.

Turma Bicentenário da Independência

A turma leva o nome de uma importante data para a história do Brasil, o dia 7 de setembro de 1822, dia da Independência do Brasil. Às margens do riacho Ipiranga, o então Príncipe regente Pedro de Alcântara proferia uma frase hoje imortalizada pela história: “Independência ou morte”. Daquele grito, testemunhado por militares do Regimento de Dragões, nascia uma grande nação.

Em 212 anos de história da Bicentenária Academia, esta foi a segunda vez que a instituição graduou um grupo misto e a primeira vez em que uma cadete do sexo feminino de nação amiga se formou na AMAN. Ghazmin Lucero Surichaqui, oriunda do Peru, disse que sempre sonhou em ser oficial do exército. “Desde criança, sonhava em trajar uma farda. Tendo meu pai militar, só cultivei ainda mais esse meu desejo”, afirmou a Aspirante, que chegou a estudar um ano na Escuela Militar de Chorrillos.

Além do Presidente da República, a cerimônia contou com a presença do Vice-Presidente Antônio Hamilton Martins Mourão, de ministros de Estado, autoridades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, oficiais generais da Marinha, do Exército e da Aeronáutica e demais autoridades civis e militares.

Fonte: Academia Militar das Agulhas Negras

Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui