Já estão abertas as inscrições para a 4ª turma do Curso EAD de Economia de Defesa, destinado a militares e civis que buscam aprofundar conhecimentos sobre o tema e o seu papel na indústria brasileira. Os interessados podem realizar inscrição até 08 de julho.

O objetivo é promover a capacitação do aluno em Economia de Defesa e tudo o que ela engloba: desde a atuação da Secretaria de Produtos de Defesa até a exportação dos produtos, serviços e tecnologias do setor. As aulas ocorrerão de 11 de julho a 12 de agosto.

Curso-EAD-Economia-de-Defesa-BANNER-1150x320px.png

A economia de defesa engloba diversos elementos para promoção e apoio a uma Base Industrial de Defesa (BID) soberana e competitiva. Para isso, são necessários investimentos em pesquisa, inovação, tecnologia e produção.

Nesse sentido, a comercialização de produtos de defesa está relacionada com itens e equipamentos de proteção bélica e de segurança nacional, como sistemas de comando e controle, e de monitoramento de fronteiras.

Inscreva-se aqui

Marcelo Barros, com informações do Ministério da Defesa
Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui