Em uma demonstração de responsabilidade social e comprometimento com a saúde pública, o 1º Regimento de Carros de Combate (1º RCC) tomou a frente no Dia D de mobilização nacional contra a dengue, ocorrido em 2 de março de 2024. Esta ação sublinha a importância da participação de todas as esferas da sociedade no combate a essa doença que afeta milhares de brasileiros anualmente.

Engajamento e Prevenção

blank

Com um efetivo altamente motivado, o 1º RCC realizou inspeções detalhadas em suas instalações, identificando e eliminando potenciais focos do mosquito Aedes aegypti, vetor da dengue. Essas atividades foram precedidas por campanhas de conscientização direcionadas aos militares, enfatizando a importância das medidas preventivas e o papel de cada indivíduo na interrupção do ciclo de transmissão da doença.

Ações Concretas

Entre as medidas adotadas, a aplicação de água sanitária em áreas propícias à proliferação do mosquito e a eliminação sistemática de criadouros se destacaram. Essas ações não apenas visam proteger a saúde dos militares e de suas famílias, mas também contribuem significativamente para a saúde da comunidade ao redor da Organização Militar (OM).

Um Exemplo de Cidadania

O engajamento do 1º RCC neste Dia D vai além do combate à dengue; representa um modelo de cidadania ativa e de contribuição para o bem-estar coletivo. A iniciativa reforça o papel das Forças Armadas como instituições comprometidas não apenas com a defesa nacional, mas também com ações de caráter social e comunitário.

Impacto e Inspiração

A participação do 1º RCC na mobilização nacional contra a dengue é um lembrete poderoso de que a prevenção e o controle de doenças exigem o envolvimento de todos os setores da sociedade. Ao tomar medidas proativas, o Regimento não apenas protege a saúde pública, mas também serve de inspiração para outras organizações e indivíduos a fazerem o mesmo.

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).