A Taurus, líder mundial na fabricação de revólveres e maior vendedora de armas leves no mundo, conquistou o Prêmio Exportação RS na categoria Destaque Setorial Metalúrgico, promovido pela Associação dos Dirigentes de Marketing e Vendas do Brasil (ADVB/RS).

Este é o quarto ano consecutivo que a empresa é premiada com o principal reconhecimento na área de comércio exterior no estado do Rio Grande do Sul. O prêmio Exportação RS destaca as marcas de diversos setores da economia gaúcha que obtiveram os melhores resultados desenvolvendo estratégias inovadoras para comercializar seus produtos no mercado internacional.

A cerimônia de premiação aconteceu na noite desta quinta-feira (11), na casa NTX, em Porto Alegre (RS). Nesta edição, que celebrou os 50 anos do prêmio, 68 empresas foram contempladas, o maior número da história do evento.

blank
Da esquerda para direita: William Lima, Coordenador de Marketing da Taurus; Sergio Sgrillo, CFO e Diretor de Relações com Investidores da Taurus; Salesio Nuhs, CEO Global da Taurus; Regis Jacobsen, Gerente de Vendas Internacionais da Taurus

Em 2021, o volume de exportações da Taurus cresceu mais de 40% em comparação ao ano anterior. Foram 2 milhões e 348 mil unidades vendidas em 2021, considerando Brasil, EUA e exportações para outros países, com aumento em todos os mercados de atuação. Os EUA foram responsáveis pela venda de 1 milhão 870 mil unidades, ou 79,7% do total no ano, e crescimento de 23,4% em relação ao volume de vendas realizado nesse país em 2020. Enquanto nas exportações para os demais países as vendas foram crescendo gradativamente no decorrer do ano, atingindo aumento de 163,3% ante a 2020.

A Taurus exporta seus produtos para mais de 100 países, além dos EUA, que tem o maior mercado mundial de armas e que a Taurus é considerada a marca mais importada, com destaque aos embarques realizados em 2021 para a África do Sul, Europa, Filipinas e países da Ásia Meridional.

No ano de 2021 a empresa firmou negócios internacionais importantes, como a venda de 12,4 mil fuzis para o Exército das Filipinas, 9,5 mil pistolas e fuzis para o Exército e Polícia Nacional de Gana, 4,5 mil pistolas para Burkina Faso e 4 mil pistolas para a Polícia Nacional e Força de Segurança do Líbano.

Ao final do mesmo ano, a Taurus ainda inaugurou um novo complexo industrial de fornecedores estratégicos em sua sede, em São Leopoldo, com 12 mil m². Projeto este dentro do âmbito de suas metas de expansão e de fortalecer-se como hub de exportação de seus produtos e peças para mercados mundiais e suas unidades internacionais que hoje encontram-se nos Estados Unidos e, mais recentemente na Índia, onde desde 2020 por meio de joint-venture com o Jindal Group, iniciou o processo de construção de uma nova fábrica e transferência de tecnologia.

O pioneirismo é outro destaque entre as qualidades que levaram a Taurus a ocupar um lugar destaque na indústria. A primeira arma com grafeno, a GX4 Graphene, é prova mais recente disso. A partir do seu lançamento, a Taurus iniciou a terceira geração mundial de pistolas, uma tecnologia desenvolvida em território nacional para o resto do mundo. A Taurus também está desenvolvendo projeto pioneiro para a aplicação de nano partículas de nióbio em ligas de metais que, junto com o grafeno, completará novo ciclo tecnológico de materiais inéditos utilizados na fabricação de armamentos Taurus, adicionando ao portfólio armas cada vez mais leves e resistentes.

Estes importantes investimentos em novas tecnologias, além de agregar valor aos produtos Taurus, agregam valor ao Brasil, que possui as maiores reservas de nióbio e a segunda maior reserva de grafeno do mundo.

A empresa também está negociando um contrato inédito de nacionalização da tecnologia de aplicação de DLC (Diamond Like Carbon), tecnologia que aumenta a dureza do aço, que hoje já é utilizada no cano da pistola GX4 na fábrica da Taurus nos EUA e estará disponível para a Taurus no Brasil. Além de uma parceria inédita de transferência de tecnologia com uma empresa norte-americana para desenvolver polímeros com fibras longas, material que proporciona maior resistência e robustez ao produto. Os engenheiros da Taurus já estão desenvolvendo um protótipo no Brasil para aplicação em carregadores de armas táticas.

Para o desenvolvimento de produtos inovadores, a Taurus conta com seu Centro Integrado de Tecnologia e Engenharia Brasil/Estados Unidos – CITE, base do forte ritmo de lançamentos da companhia. O trabalho realizado pelos engenheiros do CITE proporciona agilidade no desenvolvimento de produtos e tecnologia, sempre com foco nos desejos dos clientes e em linha com as mais avançadas soluções tecnológicas do mundo.

A empresa já recebeu mais de 36 prêmios internacionais em reconhecimento pelo seu elevado padrão de qualidade e inovação, entre eles o NASGW-POMA Caliber, uma das premiações mais importante da indústria de armas norte americana, que elegeu a pistola Taurus GX4 como “Melhor Nova Arma de 2021” e “Melhor Novo Produto Geral”.

“O Brasil é um dos maiores exportadores de armas leves do mundo, um contexto diretamente resultante do sucesso da Taurus. A empresa é referência mundial em seu segmento e tem entre seus pilares estratégicos expandir ainda mais as vendas externas. Contamos com uma equipe de monitoramento e inteligência de mercado, um portifólio de produtos amplo e diversificado, processos operacionais eficientes que proporcionam agilidade para adequar nosso mix e com flexibilidade para direcionar a produção para diferentes mercados mundiais”, afirma Salesio Nuhs, CEO Global da Taurus.

Com 82 anos de história, a Taurus é hoje uma empresa cuja marca é reconhecida pela sua qualidade, com sólidos resultados obtidos a partir de uma operação bem estruturada e moderna. A empresa se diferencia por possuir um completo portfólio de produtos, composto por revólveres, pistolas, submetralhadoras, fuzis, carabinas, rifles e espingardas, atendendo os mercados militar, policial e civil, assim como custo de produção e preços finais competitivos, o que assegura boa rentabilidade. A estratégia de focar em P&D, com o desenvolvimento de novos produtos que incorporam tecnologia e processos industriais eficientes, assim como os investimentos que vêm sendo feitos, se confirma acertada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui