Google News

O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI/PR), órgão central do Sistema de Proteção ao Programa Nuclear Brasileiro (Sipron), finalizou na última quinta-feira (19) o exercício parcial de emergência e segurança física que acontece anualmente na Fábrica de Combustível Nuclear – FCN, unidade da Indústrias Nucleares do Brasil – INB, em Resende/RJ. A atividade foi iniciada no dia 18/08 e contou com cerca de 25 instituições participantes do Sipron.

O exercício está em sua décima edição e abordou um cenário fictício, que tinha como principal objetivo avaliar a integração entre a equipe de resposta da FCN e o Grupo de Apoio Externo (GAE).

Durante o evento, também foram acionados o Centro Estadual para Gerenciamento de uma Situação de Emergência Nuclear (CESTGEN), no Rio de Janeiro/RJ, e o Centro Nacional para Gerenciamento de Emergência Nuclear (CNAGEN), situado em Brasília/DF, compostos por representantes do Sipron.

No cenário hipotético deste ano, foram apresentadas situações de incêndio, de desaparecimento de material e a entrada de invasores na área da unidade, entre outras simulações.

O superintendente de Engenharia do Combustível da INB, João Gonçalves, que atua como coordenador Geral de Emergência (CGE) da FCN, ressaltou a importância do apoio do GSI e do Comitê de Planejamento de Resposta à Situação de Emergência (Copren) do município de Resende/RJ.  “Estamos gratos à coordenação deste exercício, muito importante para todos nós da FCN, pela possibilidade de interagir com forças em nível municipal, estadual e nacional. É também a oportunidade de mostrar um pouco do nosso trabalho e prontidão”, frisou Gonçalves.

Ao final do evento, o secretário de Coordenação de Sistemas do Gabinete de Segurança Institucional, contra-almirante André Macedo, também agradeceu às instituições participantes e falou da relevância da atividade tanto para a fábrica, quanto para as comunidades próximas. “Temos que ter o conhecimento e a certeza de que qualquer problema que venha a ocorrer todos estarão seguros. Então, temos que fazer um trabalho de comunicação social muito forte e ter uma preocupação com o nosso meio ambiente. E só conseguimos fazer isso realizando esses exercícios”, disse Macedo. O secretário destacou ainda que o trabalho é necessário para que os grupos possam identificar possíveis pontos vulneráveis e o que pode ser aperfeiçoado.

E finalizou falando da parceria das coordenações de emergência e proteção física. “Estamos fazendo um trabalho muito interessante desde o ano passado integrando essa parte de emergência com segurança física e isso sempre vai acontecer, pois é vital que esses dois sistemas funcionem lado a lado e harmonicamente”.

Fonte: Portal BIDS