Google News

O SENAI CIMATEC agora é a sede de um dos Centros de Pesquisa Aplicada (CPA) em Inteligência Artificial (IA) com foco na Indústria do Brasil, como parte de uma inciativa em rede dos Institutos SENAI de Inovação (ISI). Sua proposta para se tornar um CPA-IA foi escolhida em chamada pública realizada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e Comitê Gestor da Internet no Brasil CGI.BR e teve o apoio institucional do Instituto Brasileiro de petróleo e Gás (IBP), do Comitê de Fomento Industrial de Camaçari (COFIC) e da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Ao todo, foram selecionados seis novos Centros que se dedicarão ao desenvolvimento de pesquisas científicas, tecnológicas e de inovação, aplicadas e orientadas à resolução de problemas que possam ser resolvidos por meio de inteligência artificial. O foco dos CPAs é buscar soluções inovadoras nas áreas de saúde, agricultura, indústria e cidades inteligentes.

Cada centro receberá R$ 1 milhão de investimento por ano da FAPESP, MCTI e CGI.BR, por um período de até 10 anos. Empresas parceiras também disponibilizarão o mesmo valor, o que totaliza R$ 20 milhões por Centro. Além desse capital, O CPA-IA do SENAI CIMATEC contará com a parceria da HP Inc., Intel Corporation, Macnica DHW e Atos Bull, empresas mundialmente reconhecidas pelo desenvolvimento científico e tecnológico.

Processo de submissão e aprovação das propostas

A chamada recebeu 19 propostas até julho de 2020, e o processo de avaliação ocorreu entre outubro do mesmo ano e março de 2021. Segundo Luiz Eugênio Mello, diretor científico da FAPESP, a análise envolveu mais de 80 pareceres de assessores nacionais, internacionais e das coordenações da FAPESP. “Ao final, o comitê gestor recomendou a aprovação de seis propostas – ante as quatro previstas –, considerando a qualidade excepcional dos projetos”, afirmou, ao anunciar os resultados em cerimônia virtual.

A divulgação dos seis centros aprovados foi realizada em evento on-line organizado pelo MCTI. “Temos sonhado com a inteligência artificial no país e não podemos perder o trem da história. Confio na ciência e nos nossos pesquisadores para criar novas soluções”, disse o ministro Marcos Pontes.

O presidente da FAPESP, Marco Antonio Zago, ressaltou a importância dos CPAs-IA e lembrou que “o que faz o mundo se mover é a ciência, a pesquisa e a inovação. Não é a economia, como alguns acreditam, desavisadamente”. Segundo Zago, a pesquisa em colaboração nas áreas de agricultura, saúde, inteligência artificial, indústria 4.0 e robótica poderão contribuir para a recuperação do país no pós-pandemia.

Computação Quantica

O SENAI CIMATEC, instituição referência em educação, pesquisa e inovação, e a Atos, líder global em transformação digital, estão lançando o primeiro centro de computação quântica no Brasil. O Latin America Quantum Computer Center (LAQCC) foi apresentado em cerimônia realizada ao vivo pelo YouTube do SENAI CIMATEC e da Atos, diretamente de Salvador, Bahia.

O LAQCC visa disseminar a tecnologia quântica no país, impulsionar a capacitação de mão de obra e incentivar pesquisas científicas nas mais diversas áreas, como química e biologia. Além disso, também vai facilitar a formação de pesquisadores, programadores, engenheiros e técnicos como uma das bases para consolidação de um ecossistema de computação quântica nacional e internacional.

O Centro de Supercomputação do SENAI CIMATEC será capaz de realizar estudos de impacto, roadmaps tecnológicos, investigações de algoritmos e projetos de pesquisa aplicada. Além disso, o LAQCC fará parte de uma rede mundial de uso e pesquisa em computação quântica e será o ponto de partida para o desenvolvimento de ensaios teóricos, provas de conceito, simulações, além de ser utilizado como plataforma de treinamento dos pesquisadores nesta nova tecnologia.

“O SENAI CIMATEC será a primeira instituição voltada para Quantum Computing Technology – QCT na Bahia e uma das poucas em âmbito nacional. Com a parceria da Atos, estamos nos lançando como um novo player no desenvolvimento científico e tecnológico do disruptivo ramo da Computação Quântica”, afirma o diretor de Tecnologia e Inovação do SENAI CIMATEC, Leone Peter Andrade.

Impacto da computação quântica no Brasil

O Latin America Quantum Computing Center confere ao SENAI CIMATEC e parceiros destaque internacional no setor de computação avançada e cumprirá um papel importante de difusão tecnológica para empresas, governos e academia. Desta forma, o centro será um importante aliado ao desenvolvimento contínuo da ciência, tecnologia e inovação no país.

“A aplicação dessa tecnologia [computação quântica] está sendo cada vez mais requisitada. Com soluções nesse sentido, pesquisas dos mais diversos segmentos serão aceleradas e se tornarão mais assertivas”, diz Luis Casuscelli, diretor de Big Data e Security da Atos América do Sul. Segundo o executivo, esse avanço é possível por conta da integração entre tecnologia quântica e os supercomputadores, máquinas de alto desempenho (High Performance Computing, HPC, em inglês).

Com velocidade de processamento e capacidade de memória milhares de vezes superiores aos computadores comerciais, os supercomputadores são capazes de efetuar cálculos complexos e tarefas extensas e intensivas. Nesse sentido, o avanço dessa tecnologia, juntamente com a computação quântica, beneficiará áreas que lidam com grande volume de dados, como medicina, meteorologia, química, física, petróleo e gás, energia, setor financeiro e políticas públicas.

O simulador quântico mais potente do Brasil

Para complementar a inauguração do centro, a Atos e o SENAI CIMATEC anunciam o lançamento do Quantum Learning Machine (QLM), o simulador mais potente do Brasil que permite a criação de algoritmos quânticos de grande capacidade. O simulador será utilizado pelo CIMATEC no desenvolvimento de pesquisas.

O simulador, que foi batizado de CIMATEC KUATOMU (Quantum em Iorubá), usará um hardware clássico de supercomputação e poderá simular sistemas e algoritmos quânticos de até 35 qubits. Com ele, pesquisadores e cientistas terão acesso à tecnologia que, assim como o centro, ficará alocada na sede do SENAI CIMATEC, em Salvador.

Fonte: Portal BIDS