No final de setembro, o Centro Militar de Convenções e Hospedagens da Aeronáutica (CEMCOHA) tornou-se o epicentro de uma discussão crucial para as Forças Armadas brasileiras. Entre os dias 26 e 28, especialistas de diferentes áreas se reuniram para o IX Fórum de Assistência Social do Ministério da Defesa. O tema central? “Saúde Mental e prevenção às drogas no pós-pandemia, no âmbito das Forças Armadas”.

Troca de Experiências e Conhecimentos

Representantes do Núcleo de Assistência Social (NAS) do Comando do 2º Distrito Naval, do Serviço de Assistência Social Hospitalar (SAS-H) do Hospital Naval de Salvador (HNSa) e do Abrigo do Marinheiro (AMN) estiveram presentes. Eles se juntaram a uma gama diversificada de profissionais, incluindo assistentes sociais, psicólogos e bacharéis em direito, todos dedicados à Assistência Social das Forças Armadas. O objetivo? Compartilhar conhecimentos, experiências e melhores práticas para enfrentar os desafios da saúde mental no contexto atual.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Destaque para o Hospital Naval de Salvador

Durante o fórum, o SAS-H do HNSa teve a oportunidade de apresentar um pôster sobre a temática: “O Serviço de Assistência Social Hospitalar no contexto da saúde mental no Hospital Naval de Salvador”. Este momento foi crucial para destacar o trabalho e as iniciativas em andamento no hospital, demonstrando o compromisso contínuo com a saúde mental de seus pacientes e profissionais. Após a apresentação, o Diretor de Assistência Social da Marinha, Contra-Almirante Ricardo Lhamas Guastini, fez a entrega de um certificado, reconhecendo a importância e a contribuição do HNSa para o campo da saúde mental nas Forças Armadas.

O Futuro da Saúde Mental nas Forças Armadas

O IX Fórum de Assistência Social do Ministério da Defesa não foi apenas um evento isolado, mas um marco na jornada contínua de cuidado e prevenção nas Forças Armadas. A saúde mental, especialmente no contexto pós-pandêmico, é uma prioridade, e eventos como este reforçam o compromisso das Forças Armadas em garantir o bem-estar de seus membros.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).