Projeto 'Livros que Libertam' promove a leitura e redução de pena no presídio feminino Santa Luzia

Nesta terça-feira (23), 94 reeducandas do presídio feminino Santa Luzia participaram da validação do projeto “Livros que Libertam”. A iniciativa, desenvolvida pela Secretaria de Estado da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) em parceria com o Poder Judiciário através da Vara de Execuções Penais, proporciona a redução de quatro dias de pena para cada livro lido. Uma equipe da Vara de Execuções Penais visitou a unidade para acompanhar o processo de validação.

Diogo Teixeira, secretário de Ressocialização e Inclusão Social, comentou sobre o incentivo à leitura nas unidades prisionais. Segundo ele, “o fortalecimento do hábito de leitura traz benefícios mentais e comportamentais para o reeducando, além de proporcionar a remição da pena”. Teixeira também elogiou o sucesso do projeto no presídio Santa Luzia, onde quase 80% das reeducandas participam.


Nos siga no Instagram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de Maceió.

O projeto também inclui monitores, selecionados entre os participantes da unidade, que ficam responsáveis pela leitura do livro para os custodiados que são analfabetos. Isso garante que eles também possam ter acesso à remição.

O juiz de execuções penais, Alexandre Machado, salientou a importância das ações de ressocialização e expressou sua intenção de expandir o projeto para os custodiados dos regimes semiaberto e aberto. “A gente sabe do poder transformador que o livro oportuniza. Esse projeto de remição pela leitura tem o potencial de transformar e ressignificar a vida dessas pessoas”, disse o juiz.

Durante a ação, também foram entregues 400 novos livros aos participantes do projeto no presídio masculino Baldomero Cavalcanti. Atualmente, mais de mil reeducandos estão inscritos no projeto, com a meta de beneficiar mais de 3 mil custodiados até o final do ano.





Maceió em Foco