Louisiana (EUA) – Na madrugada de 17 para 18 de agosto, durante o Exercício CORE 22, a Companhia CORE, do Exército Brasileiro, teve o enfrentamento com a força oponente, conhecida por “Geronimo”, na atividade denominada Fight Night. Nessa ocasião, o combate foi intenso e durou algumas horas ao longo da noite. Na fase anterior, a tropa brasileira manteve a sua posição defensiva e fez seu planejamento das ações operativas.

“O Geronimo”, tropa com alto nível de adestramento do Exército dos Estados Unidos, é a força oponente utilizada no processo de certificação da tropa que está em atividade no terreno.

A atividade verifica o preparo e o estado de prontidão da tropa da Brigada Aeromóvel e o seu treinamento. As técnicas, táticas e procedimentos realizadas durante o Fight Night conferiram êxito para a defesa da posição das tropas brasileiras em solo norte-americano.

Fonte: Centro de Comunicação Social do Exército
Marcelo Barros, com informações e imagens do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui