No dia 10 de novembro de 2023, a Força Aérea Brasileira (FAB), através do Batalhão de Garantia da Lei e da Ordem do Rio de Janeiro, realizou uma operação significativa de Polícia da Aeronáutica na área de remessa postal internacional do Aeroporto do Galeão. Esta ação, realizada em coordenação com a Receita Federal, representa um avanço significativo na luta contra o tráfico de drogas e armas.

O Papel dos Cães de Detecção

faro glo 4

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Um aspecto notável desta operação foi a utilização de cães especializados em detecção de drogas, armamentos e outros itens ilícitos. Esses animais treinados desempenham um papel crucial na identificação de materiais proibidos, demonstrando a eficácia de técnicas não convencionais na segurança aeroportuária.

Colaboração entre FAB e Receita Federal

A colaboração entre a FAB e a Receita Federal é um exemplo da importância da sinergia entre diferentes agências governamentais. Militares do Grupo de Defesa e Segurança da FAB e agentes da Receita Federal trabalharam juntos na seleção e farejamento do material, uma abordagem que reforça a eficácia das operações de fiscalização.

Comentários do Comandante do Batalhão de GLO

O Comandante do Batalhão de GLO, Coronel de Infantaria Rodrigo Alves dos Santos, destacou a importância dessa operação. Segundo ele, ações como essa são fundamentais para degradar a capacidade das organizações criminosas e reprimir ações ilícitas, fortalecendo a segurança nacional.

Contexto da Operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO)

Esta operação é parte da iniciativa de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), ativada pelo Governo Federal através do Decreto nº 11.765, de 1º de novembro de 2023. O objetivo é fortalecer o combate ao tráfico de drogas, armas e outras condutas ilícitas, por meio de ações preventivas e repressivas.

Reforçando a Segurança Nacional

A operação conjunta no Aeroporto do Galeão é um exemplo claro da eficácia da colaboração interagencial no Brasil. Com a união de esforços entre a Polícia da Aeronáutica e a Receita Federal, apoiada por técnicas inovadoras como o uso de cães de detecção, o país avança significativamente na luta contra o crime organizado e na proteção de suas fronteiras aéreas.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).