A Escola Nacional de Defesa Cibernética (ENaDCiber) sediou o VIII Estágio Internacional de Defesa Cibernética, entre os dias 13 e 24 de maio, com o objetivo de capacitar oficiais de diferentes nações para operações no espaço cibernético. Realizado no Centro de Instrução de Guerra Eletrônica, em Brasília, o curso promoveu o intercâmbio técnico e doutrinário entre especialistas internacionais.

Áreas de Conhecimento Abordadas

blank

Durante o estágio, os participantes receberam treinamento em várias áreas críticas da defesa cibernética, incluindo:

  • Técnicas forenses
  • Criptografia
  • Estudo de vulnerabilidades em ambientes web e diversos sistemas operacionais
  • Desenvolvimento de capacidades de ataque e defesa cibernética

Esses conhecimentos são essenciais para enfrentar as crescentes ameaças no ambiente digital e proteger infraestruturas críticas.

Participação Internacional e Diplomacia Militar

O estágio contou com a participação de 15 oficiais de países como Brasil, Equador, Estados Unidos, México, Moçambique, Paraguai, Peru, Portugal e República Dominicana. Esta diversidade promoveu uma rica troca de experiências e fortaleceu os laços de cooperação entre as nações.

Solenidade de Encerramento

A cerimônia de encerramento do estágio ocorreu com a presença de altos oficiais, incluindo os oficiais-generais do Comando de Defesa Cibernética, o Comandante de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército, e os comandantes das organizações militares do Forte Marechal Rondon. Adidos militares dos países participantes também estiveram presentes, destacando a importância diplomática do evento.

O General de Divisão Alan Denilson Lima Costa, Comandante de Defesa Cibernética, e o Coronel Sandro Silva Cordeiro, Comandante da Escola Nacional de Defesa Cibernética, foram responsáveis pela entrega dos distintivos e certificados aos estagiários que concluíram o curso.

Impacto na Defesa Cibernética

A capacitação oferecida pela ENaDCiber é crucial para fortalecer as defesas contra ameaças cibernéticas globais. A troca de conhecimentos e técnicas entre os participantes permite a criação de uma rede internacional de especialistas, preparada para colaborar em operações conjuntas de segurança digital.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui