blank

Google News

O Ministério da Defesa informa que, diferentemente de outras áreas, as Forças Armadas não interromperam a sua atuação durante a pandemia da Covid-19, mas, ao contrário, contribuíram ativamente com as ações do Governo Federal no propósito de salvar vidas e atender, principalmente, à população brasileira mais necessitada e que vive em áreas remotas.

Entre no canal do Defesa em Foco no Whatsapp e fique por dentro de todas as notícias do dia

As Forças Armadas mobilizaram aproximadamente 34 mil militares em ações diretas de enfrentamento à Covid-19, que atuaram em todo o território nacional, desempenhando ações como a distribuição e aplicação de vacinas, as entregas de kits de alimentação, de proteção individual e de higiene, o transporte de pacientes, de oxigênio, de respiradores e de milhões de outros itens utilizados para o atendimento emergencial de saúde.

É importante frisar que todos os processos de aquisição de alimentos feitos pelas Forças Armadas pautam-se pela transparência e são auditados por órgãos de controle interno e externo.

A respeito da reportagem divulgada pelo jornal Folha de São Paulo, chama a atenção o fato de que informações preliminares do Tribunal de Contas da União (TCU), sobretudo de processos que tramitam em caráter de sigilo, sejam utilizadas por veículo de imprensa sem a contextualização necessária e sem a devida apreciação de ministros do TCU.

Chega-se ao ponto de comparar os gastos de alimentação de militares com o de outros setores, que tiveram as suas atividades paralisadas durante a pandemia. Também não especifica o volume de produtos adquiridos.

O Ministério da Defesa salienta que já apresentou todas as informações necessárias ao TCU e aguarda a decisão oficial daquele tribunal.