blank

Por Kaique Lima – A nave de carga russa Progress MS-17 chegou à Estação Espacial Internacional (ISS) após uma viagem de mais ou menos dois dias. O cargueiro levou alimentos e suprimentos para a tripulação da estação, além de combustível para o posto avançado na órbita baixa da Terra.

O Progress MS-17 se acoplou ao mini módulo de pesquisa Poisk, em uma parte da ISS que está voltada para o espaço do segmento russo da estação espacial. A chegada da nave aconteceu por volta das nove da noite desta quinta-feira (1), no horário de Brasília.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

O lançamento da espaçonave aconteceu na última terça-feira (29) do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. Em seu caminho até a ISS, a Progress MS-17 completou 34 órbitas terrestres. Existia uma previsão que, durante a viagem, a nave chegasse bem perto de duas peças de hardware da SpaceX.

Impacto evitado

Em comunicado, a agência espacial russa (Roscosmos) detalhou que um satélite da Starlink e um fragmento de um foguete Falcon 9 deveriam se aproximar da nave em 1 de julho. Contudo, os controladores de voo conseguiram contornar a situação com relativa facilidade, não sendo necessária nenhuma manobra para evitar um impacto.

Enquanto o satélite da Starlink passou a uma distância de mais ou menos 1,6 quilômetro da nave, enquanto o fragmento do foguete passou a cerca de 500 metros. Os dois encontros, que não representaram riscos à nave russa, aconteceram em um intervalo de em torno de três minutos.

O Progress MS-17, que é o 78º cargueiro russo a ser lançado para a Estação Espacial Internacional desde agosto de 2000, vai passar em torno de cinco meses acoplado no módulo Poisk. O cargueiro está programado para se desacoplar automaticamente no final de outubro.

Com informações do Space e Olhar Digital