blank

Para alavancar a indústria de defesa, o Ministério da Defesa, por meio da Secretaria de Produtos de Defesa (Seprod), firmou a Assinatura do Acordo de Cooperação Técnica (ACT) com a Agência de Promoção de Investimentos do Estado de Minas Gerais (Invest Minas). O acordo foi fixado nessa sexta-feira (15), na sede da Pasta, em Brasília.

A parceria promove o desenvolvimento do ecossistema financeiro de apoio ao setor de defesa brasileiro, por intermédio de novas abordagens e soluções estratégicas em investimentos, financiamentos, seguros e garantias.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Os efeitos, na economia brasileira, podem ser identificados nos setores econômico, tecnológico e social.  A partir disso, ocorre o aumento em investimentos, por meio do interesse de empresas em se estabelecer no Brasil e de fundos privados e soberanos a investir no país.

blank

Na ocasião, o Secretário de Produtos de Defesa, Marcos Degaut, pontuou a importância do ACT no desenvolvimento de novas abordagens e soluções em financiamentos e investimentos voltados à Base Industrial de Defesa (BID). “A indústria de defesa, é talvez, o principal indutor de desenvolvimento tecnológico. É um grande elemento de modernização e dinamismo da economia. Nossa indústria de defesa representa 4,8% do PIB nacional.

Em valores de dezembro do ano passado, esse percentual chega a 382 bilhões de reais. O efeito multiplicador é muito grande, não existe igual em nenhum outro segmento produtivo. Para cada real investido na economia de defesa, retornam à sociedade 9.8 reais”, explicou Degaut.

Em 2021, a balança comercial brasileira ampliou as exportações nacionais de defesa, atingindo 1,7 bilhão de dólares, o que representou um crescimento de 30% em relação ao ano anterior. Segundo dados da Seprod, a demanda por produtos de defesa no cenário geopolítico mundial está em crescimento e os gastos em defesa movimentam no mundo mais de 1,7 trilhão de dólares por ano.

Degaut enfatizou a importância de investimentos no setor de defesa: “Não existe indústria de defesa se não existirem recursos econômicos”. Dessa forma, a iniciativa amplia a disponibilidade de instrumentos customizados que atendam às demandas da Base Industrial de Defesa (BID), incrementando o potencial de alavancagem do setor.