Diretor-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha apresenta o PROSUB à comitiva

No dia 24 de junho, representantes do Superior Tribunal Militar (STM) realizaram uma visita às instalações do Complexo Naval de Itaguaí (CNI), localizado na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A comitiva, composta pelo Ministro-Presidente do STM, General de Exército Luis Carlos Gomes Mattos, acompanhado de dez Ministros e uma Juíza Federal da Justiça Militar, foi recepcionada pelo Diretor-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, Almirante de Esquadra Petronio Augusto Siqueira de Aguiar.

Os magistrados assistiram a uma palestra sobre os principais aspectos referentes ao Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB). Na sequência, percorreram as instalações do Estaleiro de Construção (ESC), onde conheceram o sistema de construção aplicado aos Submarinos “Humaitá” e “Tonelero”. Em seguida, observaram as principais edificações do CNI e suas atuais capacidades. O percurso foi complementado pela visita ao Departamento de Treinadores e Simuladores (DTS), onde conheceram os Simuladores Tático e de Imersão, utilizados para a formação e o adestramento das tripulações dos Submarinos Classe “Riachuelo”.

Por fim, a comitiva visitou as instalações da Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas (UFEM), sítio industrial destinado às montagens no interior das seções dos submarinos, local que hoje abriga as seções do Submarino “Angostura”, quarto meio naval em construção no âmbito do PROSUB.

blank
Comitiva do STM no Complexo Naval de Itaguaí

O propósito da visita foi contribuir com a atividade formativa dos Ministros do Superior Tribunal Militar, promovendo a atualização e o aperfeiçoamento profissional dos magistrados sobre os “Projetos Estratégicos da Marinha” e, nesse contexto, o significado estratégico do PROSUB e o elevado poder dissuasório representado pelos submarinos desse Programa para a proteção da “Amazônia Azul”.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).