No domingo, 19 de março, às 14h52, o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) iniciou um novo capítulo para o Programa Espacial Brasileiro com o lançamento do foguete sul-coreano HANBIT-TLV. O foguete, que realizou um voo de 4 minutos e 33 segundos, levou a bordo carga útil 100% desenvolvida no Brasil. A operação, denominada Astrolábio, é resultado da parceria entre o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) e a empresa sul-coreana INNOSPACE.

2c3ca557 46f9 498a a8e4 2e4e6eb50569

Capacidade técnica e operacional do CLA

O Chefe do Subdepartamento Técnico do DCTA, Brigadeiro Engenheiro Luciano Valentim Rechiuti, destacou a capacidade nacional do Brasil em desenvolver tecnologias espaciais e lançar foguetes. O sucesso do lançamento binacional com a Coreia do Sul confirma que o Centro de Lançamento de Alcântara está totalmente apto, tanto do ponto de vista técnico-operacional quanto do ponto de vista administrativo, para realizar lançamentos de foguetes nacionais e estrangeiros em praticamente qualquer época do ano, com precisão e segurança.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

IMG 3184 scaled

Inserção no mercado internacional de transporte espacial

O Presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Carlos Augusto Teixeira de Moura, celebrou o momento e ressaltou que o CLA foi concebido com a ideia de abrigar não só o Programa Espacial Brasileiro, mas também outros operadores internacionais. A parceria com a INNOSPACE possibilita a inserção do Brasil no mercado internacional de transporte espacial. O Diretor-Geral do DCTA, Tenente-Brigadeiro do Ar Maurício Augusto Silveira de Medeiros, afirmou que a Operação Astrolábio demonstrou a capacidade do CLA, que será ampliada pelo Centro Espacial de Alcântara (CEA), colocando o Brasil entre os centros espaciais reconhecidos mundialmente.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).