Na manhã desta segunda-feira, 19 de fevereiro de 2024, o Núcleo de Formação de Reservistas Navais do Grupamento de Fuzileiros Navais do Rio Grande, sob a égide do Comando do 5° Distrito Naval, deu as boas-vindas a doze jovens médicos. Esta iniciativa, fundamentada na Lei nº 5.292, que regula a Prestação do Serviço Militar Obrigatório (SMO) para estudantes de medicina masculinos no último ano de graduação, reflete o compromisso contínuo das Forças Armadas Brasileiras em integrar profissionais altamente qualificados em suas fileiras.

Adaptação e Serviço: Um Compromisso com a Excelência

blank

O Estágio de Adaptação e Serviço (EAS), com duração de 45 dias, é projetado para imergir esses jovens profissionais nos valores fundamentais da vida militar, enfatizando a liderança, hierarquia e disciplina. Além do rigoroso treinamento teórico, os médicos terão a oportunidade de participar em atividades práticas desafiadoras, como tiro de pistola 9mm e fuzil 7.62mm, evacuação aeromédica e experiências no mar, a bordo de uma das majestosas embarcações da Marinha do Brasil. Essas experiências não apenas fortalecem o caráter e a resiliência, mas também preparam os médicos para as exigências únicas da medicina militar.

Contribuições Vitais para a Força Naval

Após a conclusão do EAS, os médicos serão designados para atuar em diversas áreas críticas, incluindo Medicina Assistencial, Medicina Operativa, em navios e tropas, além de Medicina Pericial e atendimentos na Policlínica Naval do Rio Grande (PNRG). Sua atuação é fundamental para garantir a saúde e o bem-estar dos militares e de suas famílias, reforçando o papel vital da medicina na manutenção da prontidão e eficácia operacional da força naval brasileira.

Uma Jornada de Crescimento e Serviço

Esta iniciativa não apenas enriquece as fileiras militares com talentos médicos de alta qualidade, mas também oferece aos jovens médicos uma experiência inigualável de crescimento pessoal e profissional. Ao se dedicarem ao Serviço Militar Obrigatório, estes profissionais não apenas contribuem para a segurança nacional, mas também adquirem habilidades e competências que serão valiosas em suas carreiras futuras, dentro ou fora do âmbito militar.