Finep/MCTI investe em equipamento inovador para triagem rápida de Covid-19

blank

A necessidade de diferentes instrumentos médicos para medição de temperatura, pressão, oximetria e frequência cardíaca, por exemplo, e de ter que escrever esses dados à mão nos prontuários é uma realidade na maioria dos hospitais brasileiros. Pensando em mudar esse cenário, em 2014, a startup gaúcha Toth Lifecare, em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e financiada pela Finep/MCTI, apresentou uma ideia até então inovadora: um único monitor de sinais vitais, conectado a um software que transmite em menos de um minuto essas informações com precisão para o computador via Wi-Fi e GPRS, sem que precise de muito contato com o paciente: o Smart Check. À época, não se esperava que, em 2020, essa rapidez, precisão e diminuição de contato viria a ser fundamental para agilizar a triagem do coronavírus.

Com o Smart Check, é possível medir temperatura, frequência cardíaca, pressão arterial, glicose e saturação de oxigênio, transmitindo essas informações para o prontuário eletrônico do estabelecimento médico, como unidades básicas de saúde, prontos-socorros, Samu, entre outros. Esse dispositivo automatizado sobre rodas foi desenvolvido ao longo de seis anos, tendo sua conclusão no final de 2019, já com a aprovação da Anvisa. Por isso, os Hospitais Montenegro e Nossa Senhora da Conceição, ambos públicos no Rio Grande do Sul, já utilizam esse monitor com as adaptações do “Projeto Covid”, como explicou o CEO da Toth Lifecare, Eduardo Marckmann.

A customização e a sofisticação dos monitores, como no “Projeto Covid”, são feitas de acordo com a demanda dos clientes, podendo variar entre R$9 mil e R$20 mil. No último ano, foram vendidos 70 monitores pelas diferentes regiões do país e a meta, de acordo com o CEO da startup gaúcha, é que esse número dobre em 2021.

Já sobre o financiamento pela Finep/MCTI, Marckmann e o analista da financiadora que acompanhou o projeto, Cláudio Paleólogo, definiram o investimento como fundamental para a conclusão do Smart Check. Com o apoio, a empresa foi capaz de diminuir os riscos de produção e contar com o retorno financeiro até os testes dos protótipos na emergência do Hospital São Lucas da PUC-RS, a aprovação da Anvisa e a divulgação do monitor.

Após a conclusão do Smart Check, a Toth Lifecare se enquadrou na classe III da Certificação de Boas Práticas de Fabricação de Produtos Médicos, além de ter estrutura produtiva própria para fabricação de equipamentos médicos com autorização de funcionamento (AF) pela Anvisa. Atualmente, a startup gaúcha tem outros dois projetos de dispositivos de saúde em desenvolvimento com apoio da financiadora.

Fonte: Portal BIDS

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do Defesa em Foco em seu e-mail, é de graça!