Imagem: Defesa em Foco

As fundações de amparo à pesquisa de São Paulo (FAPESP) e do Rio de Janeiro (Faperj) anunciaram uma colaboração significativa para o desenvolvimento das ciências quânticas no Brasil. Este comunicado, que representa um marco no cenário científico nacional, revela um acordo para promover pesquisa conjunta entre grupos dos dois estados. O lançamento do primeiro edital está previsto para 31 de janeiro de 2024, com financiamento garantido pelas respectivas fundações. Esse movimento destaca o compromisso do Brasil em acompanhar as tendências globais de pesquisa e inovação.

Brasil no Cenário Global da Pesquisa Quântica

A iniciativa das fundações é um passo significativo para colocar o Brasil no mapa global da pesquisa em tecnologia quântica. Países como China e Estados Unidos já estão investindo pesado nessa área. A China, por exemplo, está construindo um Laboratório Nacional de Ciência da Informação Quântica, enquanto os Estados Unidos já aprovaram legislações específicas para o desenvolvimento de computadores quânticos desde 2018. Esta parceria entre a FAPESP e a Faperj visa equiparar o Brasil a essas nações, abrindo novos horizontes para o avanço tecnológico e econômico nacional.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Centros de Excelência e Aplicações Práticas

São Paulo e Rio de Janeiro já são reconhecidos por sua comunidade de pesquisadores na área de informações quânticas, com centros de excelência em várias universidades estaduais e federais. A colaboração entre esses centros e o apoio contínuo ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Informação Quântica (INCT-IQ) são fundamentais para o avanço nessa área. As aplicações práticas dessas pesquisas são vastas, variando de comunicações seguras e invioláveis, essenciais para governos e o setor financeiro, até o processamento de dados em velocidades inimagináveis atualmente.

Impacto Futuro e Desenvolvimento Sustentável

A expectativa é que esse edital impulsione colaborações entre a academia e o setor privado, atraindo jovens pesquisadores e empreendedores. Além de qualificar recursos humanos e aumentar a visibilidade internacional, espera-se que a pesquisa quântica e a nanotecnologia promovam um “salto qualitativo” nas tecnologias de inteligência artificial. A parceria entre FAPESP e Faperj tem potencial para não apenas acelerar o desenvolvimento tecnológico, mas também contribuir para um desenvolvimento sustentável e responsável.

Com info da FAPESP

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).