Em evento histórico no Quartel General do Exército, em Brasília, o Exército Brasileiro apresentou avanços significativos na modernização da Viatura Blindada de Reconhecimento (VBR) EE-9 Cascavel e na revitalização do Obuseiro Light Gun. O encontro, prestigiado pelo Comandante do Exército, General Tomás Miguel Ribeiro Paiva, destaca o compromisso com a inovação e a eficácia operacional das Forças Armadas.

Projeto Cascavel NG: Uma Revolução Tecnológica

O programa de modernização do Cascavel, parte do Programa Estratégico do Exército Forças Blindadas, visa transformar a viatura em um recurso tecnológico avançado para o Exército. Segundo o Tenente-Coronel Fábio Musetti de Souza, Supervisor do Projeto, o processo reflete um salto tecnológico notável e um exemplo de colaboração efetiva com a Base Industrial de Defesa do país.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Novidades na VBR EE-9 Cascavel

O Cascavel NG (Nova Geração) traz uma série de inovações: motor mais potente, caixa automática avançada, sistema de ajuste de pressão dos pneus, freios aprimorados, e controle modernizado da torre com joystick. Além disso, a segurança foi intensificada com a inclusão de um sistema lançador de mísseis anticarro.

Revitalização do Obuseiro Light Gun: Foco na Nacionalização

Paralelamente, o projeto de revitalização do Obuseiro Light Gun enfoca a nacionalização de componentes e a manutenção eficiente. Com a identificação de cerca de 450 itens propensos a falhas, o projeto visa estender a vida útil e otimizar o desempenho do equipamento.

Estratégia e Manutenção

A estratégia adotada envolve a revisão detalhada e engenharia reversa, mantendo-se fiel ao projeto original. A iniciativa inclui treinamento especializado, fornecimento contínuo de peças de reposição e ferramentas específicas, assegurando a prontidão operacional do obuseiro em qualquer contexto.

Impacto Estratégico

Estes projetos de modernização sublinham o esforço do Exército em aprimorar sua capacidade operacional. A nacionalização da produção e a implementação de suporte abrangente representam passos cruciais para o uso eficiente da Viatura Cascavel e do Obuseiro Light Gun, reforçando a posição do Brasil no cenário de defesa global.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).