A cooperação internacional entre Brasil e Senegal teve um capítulo significativo recentemente, quando engenheiros do Exército Brasileiro contribuíram para o aperfeiçoamento de 18 militares senegaleses das Forças Armadas e das Forças de Segurança do país africano. Este avanço foi possível através do Estágio Básico de Gerenciamento de Projetos de Engenharia, realizado na Escola de Aplicação de Engenharia, em Bargny, de 13 a 17 de maio.

Condução do Estágio

blank

A instrução foi liderada pelo Coronel Orlando de Oliveira Marin e pelo Tenente-Coronel Renato Cancherini Lefone, ambos engenheiros da Missão Brasileira de Cooperação em Engenharia Militar. Estes oficiais têm ampla experiência e conhecimento técnico, o que garantiu um treinamento de alta qualidade e relevância para os militares senegaleses.

Coordenação e Local das Atividades

A coordenação local ficou sob a responsabilidade da Direção de Engenharia e Infraestrutura, órgão vinculado ao Estado-Maior das Forças Armadas Senegalesas. Essa estrutura tem como missão principal garantir que os projetos de engenharia militar sejam planejados e executados com eficácia, contribuindo para a melhoria das capacidades operacionais e logísticas das Forças Armadas do Senegal.

Objetivo da Parceria

Essa colaboração foi uma resposta direta a uma demanda crescente da Engenharia Militar Senegalesa, que busca expandir seu portfólio de projetos e aprimorar a fiscalização e controle das obras militares. A formação fornecida pelos engenheiros brasileiros capacitou os militares senegaleses a atuarem de forma mais eficiente e eficaz na gestão de projetos de infraestrutura, garantindo que os empreendimentos sejam realizados dentro dos prazos e padrões de qualidade exigidos.

Benefícios da Capacitação

Os militares que concluíram o estágio agora estão aptos a atuar em áreas críticas da engenharia militar, assegurando que o Senegal possa desenvolver suas capacidades internas sem depender excessivamente de consultorias externas. Este movimento fortalece a soberania nacional e a autossuficiência em projetos de engenharia, essenciais para a segurança e o desenvolvimento do país.

A Missão Brasileira de Cooperação

A Missão Brasileira de Cooperação em Engenharia Militar é um exemplo de como a troca de conhecimentos e a parceria internacional podem trazer benefícios mútuos. Para o Brasil, essas missões representam uma oportunidade de fortalecer laços diplomáticos e estratégicos com países africanos, promovendo a imagem do Brasil como um parceiro confiável e comprometido com o desenvolvimento global.

Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).