Ocorrido em Brasília, capital federal, o seminário “Doing Business with UN”, organizado pela Secretaria de Produtos de Defesa (Seprod) em parceria com o Escritório de Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos da ONU, foi um verdadeiro palco para as aspirações internacionais da indústria de defesa brasileira. Este evento reuniu especialistas e executivos em uma ampla discussão sobre o acesso ao complexo sistema de fornecimento das Nações Unidas através do United Nations Global Marketplace (UNGM).

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Ampliação de Horizontes

blank

O Secretário de Produtos de Defesa, Rui Chagas Mesquita, foi enfático ao ressaltar a importância deste seminário como um “marco fundamental” para o setor de defesa nacional. Segundo ele, não se tratava apenas de uma oportunidade de negócios, mas de um impulso ao desenvolvimento sustentável do Brasil através da inserção de suas empresas no cenário global. A sua fala ressaltou como a iniciativa poderia fortalecer laços internacionais e abrir novas portas para as empresas brasileiras.

Engajamento e Comprometimento

O entusiasmo também era visível na voz do Contra-Almirante João Batista Barbosa, Diretor do Depcom. Ele destacou o compromisso das empresas nacionais em contribuir para os esforços globais, posicionando-se não apenas como participantes, mas como atores principais na construção de um mundo mais justo. Para ele, o seminário foi uma prova do interesse nacional em alavancar não apenas suas operações comerciais, mas também seu papel em questões globais mais amplas.

Implicações e Futuro

Com a presença de 64 participantes, o evento não apenas debateu, mas também abriu caminho para futuras colaborações entre as empresas brasileiras e a ONU. Este encontro é visto como uma ponte essencial para que as empresas do Brasil possam entender melhor os mecanismos de aquisição e fornecimento da ONU, posicionando-se estrategicamente no mercado internacional.

A expansão global das empresas brasileiras de defesa, impulsionada por eventos como este, não só realça o potencial da indústria nacional, mas também contribui ativamente para o fortalecimento da Base Industrial de Defesa do Brasil.