U.S. Army photo

A eficácia do sistema de lançamento de foguetes norte-americano HIMARS na Ucrânia diminuiu devido ao uso de armas eletrônicas russas, que têm interferido nos sinais de GPS dos sistemas. A interferência tem causado um aumento no número de erros durante o lançamento dos foguetes, conforme relatado por uma fonte ucraniana à CNN.

Apesar de um foguete HIMARS ainda ser capaz de atingir um alvo mesmo com o sinal de GPS bloqueado, a precisão tem sido cada vez mais comprometida. Operadores de drones nas linhas de frente também observaram os bloqueios de GPS, indicando uma estratégia russa para afetar as capacidades ucranianas e norte-americanas na região.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).