Por Margareth Lourenço

O Ministério da Defesa está engajado à Campanha Bora Doar Sangue, do Programa Pátria Voluntária, coordenado pela Primeira-dama, Michelle Bolsonaro, em apoio ao Ministério da Saúde. A participação, nessa iniciativa, estende-se aos militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, que, neste mês de julho, são chamados a mais um esforço concentrado no apoio aos hemocentros de todo o País.

O Hemocentro de Brasília reservou os dias 12, 15, 19, 20 e 21 de julho, a partir das 08h30, e dia 27 de julho, a partir das 09h30, para receber as doações dos militares. Para doar sangue, é necessário ter entre 18 e 69 anos de idade (idosos devem ter realizado pelo menos uma doação de sangue antes dos 61 anos) e pesar mais de 51 quilos, sendo que o IMC (Índice de Massa Corpórea) deve ser maior ou igual a 18,5.

A doação de sangue é segura e rápida, realizada em menos de uma hora e sem qualquer risco ao doador. Os 450 ml de sangue, que um adulto doa, são repostos pelo organismo em 24h e podem fazer diferença significativa na vida de quem recebe. Isso porque um doador de sangue pode salvar até quatro vidas.

O assessor da Secretaria de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto e representante do Ministério no Conselho do Pátria Voluntária, Contra-Almirante Eduardo Assad Fontenelle, destaca que a participação dos servidores, civis e militares, “demostra o envolvimento dos militares e servidores da Defesa e das Forças Armadas, que estão sempre prontos a ajudar o próximo”.

Devido à pandemia causada pela Covid-19, os bancos dos hemocentros estão com os estoques de sangue em situação crítica. Desde a deflagração da Operação Covid-19, em março do ano passado, pela Pasta Defesa, mais de 43 mil doações foram feitas por militares das três Forças, nas cinco regiões do Brasil.

Foto: Divulgação

Marcelo Barros, com informações do Ministério da Defesa
Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui