Google News

A Coreia do Norte faz uma exposição nesta semana de mísseis, tanques e outros artefatos militares em Pyongyang.

A exposição, aberta na segunda-feira (11) com a presença do ditador Kim Jong-un, vem em meio a novos testes balísticos na Coreia do Norte, incluindo mísseis de cruzeiro de longo alcance e uma suposta arma hipersônica. Segundo o governo norte-coreano, o arsenal é necessário para se proteger de uma possível invasão dos Estados Unidos.

Foi nesse evento que Kim discursou criticando os EUA, culpando o país pelas tensões na península coreana. Para o ditador, os americanos são a “raiz” da instabilidade na região.

Nesta terça-feira (12), em resposta, o conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, Jake Sullivan, disse que a Coreia do Norte deve recuar de “ações que escalem as tensões” e disse que apoia o diálogo e a cooperação entre as duas Coreias.

EUA e Coreia do Norte

Kim se tornou o primeiro líder norte-coreano a se encontrar pessoalmente com um presidente americano em exercício na cúpula de Singapura de 2018 com Donald Trump.

As negociações sobre uma possível suspensão das sanções em troca do encerramento do programa de armas de Pyongyang foram interrompidas um ano depois, após uma cúpula fracassada entre os dois mandatários em Hanói.

Fonte: G1