Por Mariana Alvarenga

Na sexta-feira (28), em continuidade à série de visitas às Organizações Militares do Comando Militar da Amazônia, a comitiva do Ministro da Defesa, Walter Souza Braga Netto, ao lado do Comandante da Força Terrestre, General de Exército Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, esteve no 5º Pelotão Especial de Fronteira (PEF), em Santa Isabel do Rio Negro, no Amazonas. Essa unidade militar da Força Terrestre fica em Maturacá, na região da Cabeça do Cachorro, no extremo noroeste da Floresta Amazônica, próxima ao Pico da Neblina e da fronteira com a Colômbia e a Venezuela.

Na ocasião, as autoridades acompanharam o Presidente Jair Bolsonaro na inauguração de módulos de energia solar, que passaram a beneficiar as instalações do PEF. Até então o fornecimento de energia elétrica era suprido por gerador movido a diesel. Esse equipamento funcionava apenas durante parte do dia. Com a instalação do Módulo de Geração de Energia Solar (MESO), o fornecimento está garantido nas 24 horas do dia, em complemento ao já entregue pelo gerador.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

O Chefe do Departamento de Engenharia e Construção (DEC), General de Exército Júlio César de Arruda, destacou que o novo sistema fornece “energia limpa, aqui tem bastante exposição de luz solar. Isso vai dar mais bem-estar, um conforto maior para quem trabalha e vive aqui”.

Com o sistema implantado há cerca de 15 dias, eles já sentem a diferença. “Agora temos energia o dia inteiro. A comida dura mais tempo na geladeira, podemos também ligar mais vezes o ventilador para amenizar o calor da região”, descreveu a técnica em enfermagem do PEF, Sargento Isabela Guedes. Ela atua no posto de saúde, atendendo os militares e as indígenas das comunidades que ficam nos arredores do PEF.

O engenheiro responsável pelo projeto do MESO é o Tenente-Coronel Fábio Barros, do 2º Grupamento de Engenharia do Exército. Ele explicou que o sistema foi dimensionado para atender à demanda por energia de uma residência familiar durante 12 horas diárias, enquanto o gerador estiver desligado. Todo o material para instalação dessa tecnologia foi transportado por aeronaves e embarcações, a partir de Manaus até Maturacá, superando distância de cerca de 1 mil km.

militar explica.jpg

Para o fornecimento de energia, o PEF conta com três geradores, que funcionam por cerca de quatro horas cada um. Em intervalos de tempo, os aparelhos são desligados, deixando o Pelotão totalmente sem eletricidade. O Comandante do PEF, Tenente Evander Neil da Costa Moysés, informou que o equipamento é ligado em três momentos do dia, “a depender da quantidade de combustível existente”.

Patrulhamento da fronteira

O PEF tem como missão principal a defesa, principalmente, contra crimes transfronteiriços e ambientais, com ações como o patrulhamento da fronteira. “A gente combate o extrativismo ilegal de madeira e o garimpo. Defendemos os arredores do rio Caburaí, bem como do Pico da Neblina, região que concentra uma infinidade de minérios e riquezas naturais”, explicou o militar que comanda o Pelotão.

WhatsApp Image 2021-05-28 at 17.19.26.jpeg

Fotos: Comunicação Social CMA

Marcelo Barros, com informações do Ministério da Defesa
Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).