Altamira (PA) – O Comando Militar do Norte oferece à Organização das Nações Unidas a primeira Companhia de Reação Rápida de Selva para atuar em missões de paz. A certificação aconteceu nesta sexta-feira, dia 23 de setembro, no 51º Batalhão de Infantaria de Selva (51º BIS), em Altamira no Pará, onde foi realizado o treinamento.

No total, 180 militares da 23ª Brigada de Infantaria de Selva e suas organizações militares subordinadas participaram das atividades, sendo 9% do efetivo do segmento feminino. A tropa passou pelo Sistema de Prontidão de Capacidades de Manutenção da Paz das Nações Unidas (UNPCRS, sigla em inglês). Os exercícios simularam situações reais de patrulhamento motorizado e a pé, com embarcações pelo Rio Xingu, infiltrações em área de floresta, resgate de reféns, escoltas e comboio humanitário, além de operação de controle de distúrbios.

Os treinamentos foram realizados entre os dias 19 e 23 de setembro, e empregaram 29 viaturas, 8 embarcações e mais de 200 armamentos de uso exclusivo do Exército Brasileiro.

“Essa é uma capacidade pioneira. O Brasil possui outras tropas que foram incluídas e certificadas pela ONU. Mas agora a nossa intensão é de que o Brasil esteja numa posição diferenciada ao oferecer a capacidade de selva, que ainda não existe”, comentou o Coronel Carlos Alberto Coutinho Vaz, Comandante do Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB), responsável pela avaliação do Exercício Avançado de Operações de Paz.

Ao término do Exercício, o Major Emerson Guimarães Fontoura, comandante da Companhia de Reação Rápida (QRF, em inglês), recebeu a certificação das mãos do Comandante do CCOPAB. Também estavam presentes na cerimônia o Coronel Vitor Hugo de Bastos Silva, do Comando de Operações Terrestres, e o Tenente-Coronel João Bosco Reis Cestaro, representando o Comando Militar do Norte.

“É um orgulho estar com a tropa preparada para ser empregada em qualquer situação. É uma capacidade nova que o Brasil tem a oportunidade de ofertar para a ONU, conforme as nossas características de selva, prontidão e operacionalidade para emprego em qualquer missão”, concluiu o Tenente-Coronel Luiz Guilherme de Oliveira e Silva, Comandante do 51º Batalhão de Infantaria de Selva.

Fonte: 51º Batalhão de Infantaria de Selva

Marcelo Barros, com informações e imagens do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui