No dia 26 de janeiro, o Aeroporto Santos Dumont no Rio de Janeiro recebe um momento histórico da Operação Acolhida do Comando Militar do Leste (CML). Sarita Carolina Jaramillo e sua família, vindos diretamente de Pacaraima, Roraima, representam o imigrante venezuelano número 10 mil a ser interiorizado pelo CML. Este marco simboliza a maior resposta humanitária do Brasil ao fluxo migratório de venezuelanos, destacando os esforços do país em oferecer melhores condições de vida e acesso a trabalho para estas famílias.

A Operação Acolhida e Seu Impacto

Desde março de 2018, a Força Tarefa Logística Humanitária, composta por militares voluntários, tem sido a porta de entrada para o processo de regularização segura, ordenada e gratuita dos imigrantes venezuelanos. Com bases em Boa Vista e Pacaraima, Roraima, e em Manaus, Amazonas, a operação já atendeu mais de 122 mil venezuelanos, oferecendo serviços essenciais como abrigo, assistência médica-odontológica e apoio em medidas administrativas.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Retirada de Ambientes de Vulnerabilidade

A Operação Acolhida tem sido fundamental na remoção de muitas famílias de ambientes de vulnerabilidade em Roraima e Amazonas, proporcionando-lhes oportunidades de recomeçar em diferentes cidades do Brasil. Este processo não só beneficia os imigrantes venezuelanos, mas também reforça o compromisso do Brasil com a solidariedade internacional e a assistência humanitária.

Um Exemplo de Compromisso e Solidariedade

A chegada da família de Sarita Carolina Jaramillo ao Rio de Janeiro é um testemunho do empenho e da dedicação do Comando Militar do Leste e da Força Tarefa Logística Humanitária. A interiorização de 10 mil venezuelanos é um exemplo do compromisso do Brasil com a ajuda humanitária, demonstrando a capacidade e a vontade do país em apoiar aqueles que buscam uma nova vida longe de adversidades.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).