ABIMDE participa de reunião sobre Portfólio Estratégico do Exército

Encontro online apresentou oportunidades e demandas que serão geradas pelo EB 

O presidente da ABIMDE (Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança), Dr. Roberto Gallo, participou da 4ª Reunião de Integração do Portfólio Estratégico do Exército Brasileiro com a Base Industrial de Defesa e Segurança do Brasil, na manhã desta terça-feira (14). O encontro foi promovido pelo EPEX (Escritório de Projetos do Exército).

A reunião, realizada por videoconferência, teve como objetivo apresentar o planejamento dos Programas Estratégicos do Exército, de curto e médio prazos, para as indústrias de Defesa. O encontro é importante para que as empresas nacionais possam se preparar para atender às demandas que serão geradas pelo Exército. 

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A apresentação dos projetos foi feita pelo Chefe do EPEx, General de Brigada Marcus Alexandre Fernandes de Araújo. O evento também contou com apresentações da ABIMDE e do SIMDE, além de debate sobre questões relacionadas à Base Industrial de Defesa Brasileira.

Em sua apresentação, Dr. Gallo manifestou preocupação com a competição predatória, principalmente com relação à empresas estrangeiras, e defendeu o uso de todos os recursos legais disponíveis que possam garantir isonomia e maior participação da BID brasileira nas aquisições das Forças.

“Precisamos usar todos os instrumentos que estão à nossa disposição, em particular a lei 12.598”, disse o presidente da ABIMDE.

Além da ABIMDE, participaram representantes dos Órgãos de Direção Setorial e do Órgão de Direção Operacional do Exército (ODS/ODOp), do Centro de Inteligência do Exército (CIE), das Subchefias e do Gabinete do Estado-Maior do Exército, do Sistema Defesa, Indústria e Academia do Departamento de Ciência e Tecnologia (SisDIA/DCT), do Secretaria de Produtos de Defesa do Ministério da Defesa (SEPROD/MD), do SIMDE (Sindicato Nacional das Indústrias de Materiais de Defesa), da Imbel (Indústria de Material Bélico do Brasil), e do Conselho Temático da Indústria de Defesa e Segurança da Confederação Nacional da Indústria (CONDEFESA/CNI).

Fonte: Portal BIDS